domingo, 2 de dezembro de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #46

Sei que um dia virá
em que irás admitir
- mesmo que seja
num tom de dúvida -
o quanto te custou
partir. Aquilo que perdeste
sei que um dia será
um arrepio que te aleija
- dentro de ti brilhará
fria, uma memória -
do calor estival
que não voltará
a voar sobre os campos.


rascunhos encontrados num caderno abandonado anteriores:
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42, #43, #44, #45,


Post-Scriptum: Parabéns ao André Moura e Cunha pelo primeiro aniversário do blog In Absentia.

4 comentários:

  1. Também tenho rascunhos que dizem mais ou menos isso... Boa semana!

    ResponderEliminar
  2. ola vasco, boa semana! só agora, a meio da semana, dei conta do comentário... abraço

    ResponderEliminar
  3. Tenho medo que algum dia isso aconteça comigo.

    ResponderEliminar
  4. só acontece a quem arrisca tudo. a quem vive tudo. a quem não consegue contentar-se com a metade. a quem pode dizer a si mesmo, mas eu fiz tudo o que tinha a fazer... beijinho

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado