terça-feira, 11 de dezembro de 2007

PESADELO

Às vezes, vem-me à lembrança
Aquela que foi um dia
a minha praça rendida
sem condições...
E que, depois de tomada,
ficou ali sem gritar
o fatal «aqui-del-rei
que são ladrões!...»

Vem-me à lembrança Aquela que morreu
e que no céu contou a sua entrega
duma maneira tão casta
que Deus a deixou ficar

(para exemplo
daquelas onze mil virgens
que ali andavam
sem que ninguém soubesse
porquê, nem porque não!;
que foram como vieram
e que, por isso, negaram
a santidade profunda
da Criação!...)...

Vem-me à lembrança, e choro este meu pranto
de crocodilo sincero...
Eu sou determinado, e Satanaz bem sabe
que não sei fazer o bem
e faço o mal que não quero...


Miguel Torga, in O Outro Livro de Job (5.ª edição revista, Coimbra, edição de autor)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado