domingo, 25 de novembro de 2007

salários e bom senso

Ora aqui está uma história exemplar, que os empresários Portugueses e o Governo deveriam tomar em consideração: O empresário italiano Enzo Rossi (...) resolveu passar um mês a viver com os mil euros que paga aos seus operários, dando a mesma quantia à sua mulher, que também trabalha na empresa. (...) Embora Rossi e a mulher se tenham restringido ao essencial, o dinheiro acabou a 20 - e Rossi percebeu que, "se o dinheiro acabava para mim, também não dava para eles". Vai daí, deu um aumento geral de €200 aos trabalhadores. (...) O empresário diz que não quer dar lições de ética a ninguém, recusa qualquer ideia de que seja marxista e, com uma frontalidade desarmante, frisa que o aumento que concedeu é a prova de que é "um grandessíssimo egoísta". E porquê? Porque, como explica liminarmente, se o salário é insuficiente, os funcionários vivem sob stresse psicológico, com a angústia de saber se o dinheiro chega ou não ao fim do mês. Isso leva-os a ficar instáveis do ponto de vista emocional "e, consequentemente, trabalharão mal". Ora, como acrescenta, "quero que eles estejam bem, para aumentar os meus lucros". E diz mesmo que a massa que fabrica, um tipo de macarrão finíssimo muito tradicional em Itália, fica melhor e vende mais se o funcionário trabalha feliz. (itálico retirado da crónica de Nicolau Santos, no Expresso). Infelizmente, por cá anda-se mais na onda de querer reduzir os salários, através de subidas inferiores à inflação; e até há mesmo um empresário que sugeriu que se baixassem* os salários, para poder competir com a China! - um argumento destes, é realmente uma ideia da china, como se costuma dizer - não sei o nome do senhor, mas lembra-me de ter lido a notícia, a que liguei pouca importância por ter considerado a ideia tão vã e rídicula. Se alguém dos meus exelentes visitantes souber o nome do senhor, que mo comunique... Talvez possamos fazer uma campanha de envio de e-mails para o referido senhor, dando-lhe conhecimento desta história... Julgo que está ligado ao sector têxtil... *De referir que este senhor se referia ao Salário Mínimo Nacional!

4 comentários:

  1. Esse senhor deveria ser obrigado, a viver um mês com o salário mínimo nacional, para ver se gostava...

    ResponderEliminar
  2. Caro André, obrigada pelo link (eu afinal também só comentei uma coisa...) e a tua posição sobre estes «negócios da China»!
    O interessante é que de facto alguns destes senhores empresários, declaram para si próprios esses tais salários mínimos. «Oficialmente» é o que ganham para fugir aos impostos. Porque o seu carro topo de gama «é da empresa», as viagens que fazem «é por causa da empresa», e muitas vezes a residência onde vivem está «em nome da empresa» ou da mulher, ou dos filhos, ou do cão ou do gato. Não é deles, para não ser colectável.
    São essas coisas que dão um pouco volta ao estômago.

    ResponderEliminar
  3. tens toda a razão emiele. senhores destes, como se costuma dizer, sabem-na toda! é o triste mundo em que vivemos! mas haja um pouco de dignidade! vir pedir publicamente uma coisa destas!... é preciso ser um sem-vergonha inqualificável... abraço.

    ResponderEliminar
  4. esse senhor, pinguim, devia ser obrigado a viver com o salário mínimo que ele propôs! abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado