sexta-feira, 23 de novembro de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #43

Era Julho, época das ceifas
Quando os sorrisos percorrem
Alegres, os campos e cearas,
De boca em boca, e o voar
Das borboletas vai de flor em flor
Beijar as faces das ceifeiras.
Ouvia-se o seu límpido cantar
Vozes rumorejando pelo ar
O murmúrio estival do amor.
Sussurei baixinho o teu nome
Por entre o trigo e o centeio
- Ainda ouves a brisa fresca,
O lento gorgolejar da ribeira? -
E fiquei quietinho à espera,
A imaginar as tuas carícias,
O teu olhar e os teus beijos...

rascunhos encontrados num caderno abandonado anteriores:
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42,

Adenda: depois de corrigir este post pela quinta vez - cinco erros encontrados e pode haver mais - tenho que dizer que a minha grande dificuldade na correcta utilização do Português foram sempre os acentos - e os sons: a troca dos pre pelos per e vice versa, a troca do f pelo v e vice-versa, a troca do o pelo u e vice-versa, a troca do v pelo b e vice-versa, e a troca de mais não sei quantas letras por outras com sons parecidos! Posso afirmar que nem as reguadas que as professoras me deram - sim, levei muitas reguadas por causa destes erros! - nem a minha irritação presente conseguiram corrigir a dislexia! O pior é que - tenho constatado! - tende a piorar... E não fosse o facto de, literalmente, ser eu um decorador de palavras - não conseguiria escrever um texto com menos de um erro por cada duas palavras... Estou com uma irritação tão grande, que apetecia-me chicotear-me a mim mesmo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado