quarta-feira, 21 de novembro de 2007

nota futebolística

UEFA Euro 2008 Austria Switzerland Áustria Suiça official ball bola oficial football futebol
Daqui a pouco mais de uma hora joga a nossa selecção. Andei todo o dia a pensar em deixar aqui uma nota, mas não sei bem o que dizer. O adversário é a Finlândia e não podemos perder. Essa é a única certeza, nesta equipa. Pessoalmente tenho outra certeza: desde o já célebre jogo Portugal-França do Europeu de 2000, na Bélgica-Holanda, que não vejo a selecção fazer um jogo decente! O Mundial de 2002 na Coreia-do-Sul-Japão, foi o desastre que todos recordam, com a cereja das expulsões no topo do bolo. O Europeu de 2004, cá em Portugal, trouxe-me a ideia de que no binómio jogar mal-chegar longe, só a Itália nos consegue bater. Vinte ou trinta minutos de bom futebol, contra a Holanda, não chegam: derrota contra a Grécia; vitórias sofridas, tangenciais e empolgadas pelo público contra a Rússia e a Espanha; eliminada a Inglaterra nos penalties, e nova derrota frente à Grécia diz tudo aquilo que os cegos não querem ver. O Mundial de 2006, na Alemanha, confirmou a minha ideia, que se tornou convicção: no binómio jogar mal-chegar longe só mesmo a Itália nos consegue bater! A Itália que se tornou Campeã do Mundo pela quarta vez. Agora, esta campanha para o Europeu, o de 2008, na Áustria-Suiça, nem merece comentários, embora haja cegos que para todas as asneiras parecem ter justificação! Vai para 8 anos que Portugal não faz um jogo decente! E depois querem que uma pessoa ande por aí empolgada, feita bacoca, com cachecol e camisola a condizer, nos estádios, ruas e cafés? Venha a cerveja!

2 comentários:

  1. Amigo André
    e o jogo acabou por te dar ainda mais razão, e o Scolari parece que anda a mostrar o seu mau feitio, demasiado...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Euforia, pinguim, euforia julgo que é a palavra mais adequada para descrever o ambiente social em volta do futebol... E quanto mais infeliz é uma sociedade, mais têndencia tem para ser eufórica nas pequenas (pequeníssimas) alegrias. E assim se transformam as pequenas agonias que são os jogos da selecção em gloriosos épicos... enfim...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado