domingo, 12 de agosto de 2007

centenário do nascimento de Miguel Torga (1907-2007)

O mestre, acabado nos socos abertos e abafado no varino de surrobeco, sempre atido ao venha a nós, recebia-nos conforme a pingadeira. - O senhor passou bem? - Olá, seu pardal! Ainda agora? - Trouxe uma cesta de batatas, que já entreguei à senhora Marquinhas, e demorei-me um migalho... - Bem, bem... Amanhã vê se desembelinhas essas pernas. Quando a dúzia de ovos tardava, ou o fumeiro parecia esquecido, ele próprio lembrava a falta. E até os mais pobres apareciam de saquitel ao ombro. Mas havia dar, e dar... E o tom de acolhimento variava. - E tu, meu figurão? - Fui prender a burra... - A burra tem costas largas! (...) Sentava-me na bancada da frente, à esquerda do meu companheiro, o Jerónimo. Num instante, estava pronto. O senhor Botelho erguia-se então da cadeira, descia o estrado, e ordenava em tom solene: - Papel de trinta e cinco linhas. Ditado! A esta palavra, a sala ficava silenciosa. Miguel Torga, in. A Criação do Mundo (edição de autor, 2.ª edição conjunta, pp. 12-13)

3 comentários:

  1. Amigo André
    finalmente alguém a lembrar-se de postar sobre Miguel Torga!
    Não é que eu não goste de outros grandes poetas e escritores portugueses, nem sequer vou entrar no campo das comparações, mas estou certo que se tratasse de Fernando Pessoa, meio mundo aqui na blogosfera, estaria a tecer loas; perdoa o desabafo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Voltaste por Miguel Torga. Acho muito bem!
    Não serás «finalmente alguém a lembrar-se», mas felicito-te por teres ido ao encontro do prosador exímio que Torga foi.
    Quanto a ser poeta, compará-lo com Pessoa seria infeliz: Pessoa É o POETA... Nada mais há a dizer.
    Obrigado! :-)

    ResponderEliminar
  3. Meus amigos:
    Torga e Pessoa, podemos compará-los quando há tantas diferenças entre ambos?
    Torga faz-me viajar pelo Douro da minha infância. Lembra-me a luta do homem para domar uma natureza dura e agreste.
    Torga recorda-me também as vindimas, sob um calor abrasador e as dores de barriga depois de comer quilos de fruta a ferver ao sol. :)
    Um abraço

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado