sábado, 23 de junho de 2007

uma larga faixa de cocaína atravessa Ljubljana campainhas silenciosas, e um trenó corre através das ruínas um veado negro puxa, submerge na neblina - e que importa? Ljubljana, refúgio de psicopatas que não pode passar despercebida no mapa de um lado, a sala de espera autríaca do outro, o hospital italiano da agonia por baixo, nada mais que os departamentos fechados ala B e os que se consideram heróis carros que batem em vão alguns trampolins para saltar nas profundidades crianças que vagueiam pela floresta bêbados por todos os lados, onde é que pára o comboio que os leva para trás das paredes tudo está aberto, como um prado para homens, brancos, eslovenos, com mulheres toda a cidade dança perante os nossos olhos quando, ganzados, nela vagueamos tomamos poppers e rimos de tudo o que passará como se enganaram as batas brancas e deixaram que tudo isso circule nas ruas inclinas-te, dizendo: Eu sou psicopata levanta-te, levanta-te, seguimos olha essas marionetas em frente do café e no mercado, que oferta tão variada gente feia move-se por trás das suas bancadas e deixa flutuar os seus sonhos no rio as suas esperanças de cura o vómito, o vómito por trás de uma casa estás completamente verde, como o dragão da ponte abraças-me, empurras-me de novo, como se as forças, se embatessem na tua cabeça, inapreensíveis e ouves o sábio que comanda com a sua mente esferas, maquinaria, uma multidão que avança tudo te prega os pés à terra e não sabes para onde ir. Brane Mozetič, in. Borboletas - Brane Mozetič (1958, Eslovénia) é autor de onze colectâneas de poesia e três trabalhos de prosa, dos quais quize foram traduzidos e publicados em várias línguas. A sua colectânea de poesia, Borboletas, e o livro de histórias curtas, Paixão, foram ambos publicados nos Estados Unidos. Borboletas e Poemas pelos Sonhos Mortos foram também publicados em Castelhano. Traduziu trabalhos de Rimbaud, Genet, Foulcault e de diversos poetas comtemporâneos. Editou também duas antologias de literatura homoerótica em Esloveno, bem como diversos trabalhos de literatura Eslovena contemporânea - particularmente poesia - a nível internacional. A Editorial 100 publicou a colectânea Borboletas, em Abril de 2007, o sua primeira obra publicada em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado