quarta-feira, 27 de junho de 2007

O facto de ela estar comigo não significava apenas que eu não estava só, significava que eu sempre quisera estar assim com ela. Também aprendi que o grande segredo era ter prazer em proporcionar prazer. O prazer passou a ser um dádiva de vida. Eu amava-a, e disse-lho, e Aninha silenciou-me com um novo beijo (...) éramos duas mulheres que se amavam e que nunca duas pessoas poderiam ser tão iguais. (...) Aquele era o limite a que um ser humano poderia chegar. Por um instante, senti que estava longe de mim, e vi-me a mim própria a contorcer-me em espasmos de puro prazer, o meu ventre esvaziando-se em ondas.
CÍNTIA MOSCOVICH, in. Duas Iguais (Bico de Pena) - Nasceu em 1958, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul (Brasil). É escritora, jornalista e mestre em Teoria Literária, tendo trabalhado como professora, tradutora, consultora literária, revisora e acessora de imprensa. Em 1996 publicou o seu primeiro livro, O Reino das Cebolas; em 1999, Duas Iguais; e em 2000, o livro de contos Durante o Incêndio.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado