segunda-feira, 4 de junho de 2007

Não mintas dessa maneira. Vê-se - Muito claramente, Que é mentira quanto dizes, E a mentira, muitas vezes, - Quando não tem convicção, Em vez de afirmar destrói Toda a ilusão. Mente com outro sorriso - Mas mente!, Porque mentir, Infelizmente, é preciso. Essas palavras de amor Doidamente construídas, São necessárias À comédia sempre igual Das nossas vidas. - E a mentira do teu corpo Tem o sabor venenoso De uma laranja madura Numa paisagem lunar. - Se deixasses de mentir, Eu deixava de te amar. ANTÓNIO BOTTO, In. Canções

1 comentário:

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado