sábado, 19 de maio de 2007

Metamorfose*

Apesar de ser um crocodilo, para ela a sua pele era macia. Apesar de ser uma doninha fedorenta, cheirava bem. O amor da sua mulher era tão grande, que embora ele fosse um elefante, ela considerava-o elegante. E, apesar de andar tão devagar quanto um caracol, para ela ele era muito veloz. Até que um dia o surpreendeu em flagrantemente com uma amante e reparou de súbito o repugnante que ele realmente era. Acordou e constatou como a pele dele era áspera e irritante. Tapou o nariz pelo seu fedor. Viu-o muito gordo e muito vulgar, pelo que de imediato se divorciou.
DIEGO MARTÍNEZ LORA *Título do Autor

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado