quarta-feira, 23 de maio de 2007

memorial*

Mark Rothko painting abstracto quadro pintura Porque os outros se mascaram mas tu não Porque os outros usam a virtude Para comprar o que não tem perdão. Porque os outros têm medo mas tu não. Porque os outros são os túmulos caiados Onde germina calada a podridão. Porque os outros se calam mas tu não. Porque os outros se compram e se vendem E os seus gestos dão sempre dividendo. Porque os outros são hábeis mas tu não. Porque os outros vão à sombra dos abrigos E tu vais de mãos dadas com os perigos. Porque os outros calculam mas tu não. SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN *Post "roubado" ao Luís, do GayFeel. Imagem Mark Rothko. Não resisti a este belíssimo poema de Sophia...

5 comentários:

  1. E epígrafe e nome do meu anterior blogue...
    Um dos poemas mais belos da poesia portuguesa.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Vou-te roubar este post pode ser?!
    Bejinhos

    ResponderEliminar
  3. Olá Ró,

    Ladrão que rouba ladrão...

    Beijinho

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado