quinta-feira, 31 de maio de 2007

long, long time ago...

Era uma vez... - Um rei! - dirão imediatamente os meus pequenos leitores. - Enganam-se, rapazes. Era uma vez um pedaço de madeira. Não era de madeira luxuosa. Tão somente um pedaço de madeira daqueles que, durante o Inverno, se costuma meter nos fogões e nas lareiras para acender o lume e aquecer os quartos. Não sei como aconteceu, mas um certo dia esse pedaço de madeira apareceu na oficina de um carpinteiro já velhote. Chamava-se Mestre António, mas toda a gente o tratava por Mestre Cereja pois trazia sempre a ponta do nariz luzidia e avermelhada, como se fosse uma cereja bem madura. Quando o Mestre Cereja deu de caras com o pedaço de madeira ficou feliz da vida. Esfregou as mãos de contentamento e borbotou a meia voz: - Este pedaço de madeira vem mesmo a calhar: vou utilizá-lo para fazer uma perna de mesinha. Assim disse, assim fez. Pegou no machado para o descascar e desbastar. Mas quando estava prestes a dar a primeira machadada, ficou com o braço suspenso no ar, pois ouviu uma voz que, baixinho, baixinho, lhe pedia: - Não me batas com muita força, está bem? CARLO COLLODI, In. As Aventuras de Pinóquio

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado