sexta-feira, 27 de abril de 2007

VERSOS Escrito num exemplar d' As Flores do Mal [Charles Baudelaire] As flores que nossa alma descuidada Colhe na mocidade com mão casta, São belas, sim: basta aspirá-las, basta Uma vez, fica a gente enfeitiçada. Nascem num prado ou riba sossegada, Sob um céu puro e luz serena e vasta; Têm fragrância subtil, mas nunca exausta, Falam d'Amor e Bem à alma enlevada... Mas as flores nascidas sobre o asfalto Dessas ruas, no pó e entre bulício, Sem ar, sem luz, sem um sorrir do alto, Que têm elas, que assim nos endoidecem? Têm o que mais as almas apetecem... Têm o aroma irritante e acre do Vício!
ANTERO DE QUENTAL, In. Sonetos Completos [livros de bolso, da Europa-América]

1 comentário:

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado