terça-feira, 24 de abril de 2007

um poema em fúria...

Violo as entranhas da moral com luxúria
Através da concupiscência das horas
Bebo o sangue dos culpados,
Em suaves golos
Tenho gula de matar a hipocrisia...
E tudo isto é religião!!!

Rezo

Amo os deuses pederastas
A arder nas fogueiras da inquisição
Silenciosamente, mortos por padres
A sodomizar crianças...
E tudo isto é religião!!!

Grito

Em cima dos montes, das casas, dos vales
Mil imagens sonoras, num segundo
Toda a vida
Odeio tudo e amo
Furiosamente...
E tudo isto é religião!!!

2 comentários:

  1. A raiva e o ódio são óptimas soluções para o bloqueio de escritor.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado