sábado, 7 de abril de 2007

sonho

Ciganita sentada no chão frio toca melodia ingénua no pequeno acordeão apelando à esmola dos passantes. A melodia encanta-a e sorri. Sorri e sonha: as bonecas da montra fronteiriça descem à rua e dançam para ela. Dançam espargem ternura a rodos na sua face linda e depositam no seu regaço o aroma das flores de jardins sem dono e pastéis de nata bifes fruta que ofertam aos montões em salvas de oiro. Tilintar de moeda distraída lançada na caixa das esmolas quebra o encanto de amor e de fartura: o sorriso some-se e instala-se a lembrança dorida de contas a prestar aos seus mandantes.
JOSÉ PEREIRA DA GRAÇA, Editorial 100

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado