segunda-feira, 9 de abril de 2007

o dia de não-aniversário

- Ofereceram-ma - continuou Humpty Dumpty com ar pensativo, cruzando as pernas e segurando um dos joelhos com as mãos -, ofereceram-ma... como presente por não fazer anos. - Perdão? - perguntou Alice, confusa. - Não estou ofendido - respondeu Humpty Dumpty. - O que eu queria saber é o que é um presente por não fazer anos. - É um presente oferecido num dia em que não fazemos anos, é claro. Alice ficou uns instantes a pensar. Por fim, disse: - Eu prefiro os presentes no dia em que faço anos. - Não sabes o que estás a dizer! - exclamou Humpty Dumpty. - Quantos dias tem um ano? - Trezentos e sessenta e cinco - respondeu Alice. - E quantas vezes fazes anos? - Uma. - E se tirares um a trezentos e sessenta e cinco, quantos ficam? - Trezentos e sessenta e quatro, é claro. Humpty Dumpty parecia desconfiado.
LEWIS CARROLL, In. Alice do Outro Lado do Espelho.

4 comentários:

  1. Alice do outro lado do espelho é um livro matematicamente muito interessante. Costumo usar partes dele para a resolução de alguns problemas, sobretudo os que metem lógica!

    ResponderEliminar
  2. Já tenho conta no gmail e dá para fazer comentários! O maoir cego é aquele que não quer ver!
    abraço
    antoniocartoonices

    ResponderEliminar
  3. Olá Tongzhi, sim, é verdade. Digamos que Charles Dodgson emprestou os seus créditos matemáticos a Lewis Carroll ;-) Abraço.

    Olá Ferreira, por vezes o mais óbvio é mais difícil de ver, porque estamos sempre à espera que esteja escondido, aquilo que está à mostra de toda a gente... Abrço

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado