segunda-feira, 2 de abril de 2007

humor

Nas contas de Isilda Pegado, "apenas um quarto dos portugueses" votou "sim", contra "três milhões" de defensores do "não", contando os que estão por nascer: "Fomos um milhão e 500 mil portugueses que dissemos "não" a esta lei. Mas, se juntarmos mais um por nascer por cada voto nosso, teremos seguramente mais de três milhões de portugueses". Por tudo, a lei é "completamente inaceitável". (Público Online, via Uma Certa Enciclopédia Chinesa)
Afinal os portugueses têm um grande sentido de humor. Eu tenho-me fartado de rir: até Salazar foi eleito o maior português de sempre. Conseguiu depois de morto, aquilo que não conseguiu em vida: ser eleito democraticamente. Visto que, nisto das eleições, tudo pode acontecer, vai daí, porque não contar com os votos dos não-nascidos? E os votos daqueles milhões de portugueses, desde a fundação do país, não contam? E os votos dos Lusitanos?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado