domingo, 4 de março de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #20

Estou melhor assim, só; ou melhor, estou pior. Mas estou pior de qualquer maneira. Se estivesse com ela estaria mal na mesma. (...) Sei-o demasiadamente: é impossível. Impossível desde o âmago das nossas almas disconexas. (...) E saber-te distante, como a distância de uma palavra. Como este cigarro que acendo e logo apago. Tudo como sempre, afinal. Algum tempo no café, jantar marcado para as 20h, atraso-me. Tudo como sempre, portanto.
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado