sábado, 24 de fevereiro de 2007

e agora, já sabem quem é o autor?

Eu nunca guardei rebanhos, Mas é como se os guardasse. Minha alma é como um pastor, Conhece o vento e o sol E anda pela mão das Estações A seguir e a olhar. Toda a paz da Natureza sem gente Vem sentar-se a meu lado. Mas eu fico triste com um pôr do Sol Para a nossa imaginação, Quando esfria no fundo da planície E se sente a noite entrada Como uma borbuleta pela janela. Ver também este post.

2 comentários:

  1. Agora sim :)

    Fernando Pessoa, ou melhor, Alberto Caeiro

    "Mas a minha tristeza é sossego
    Porque é natural e justa
    E é o que deve estar na alma
    Quando já pensa que existe
    E as mãos colhem flores sem ela dar por isso."

    ResponderEliminar
  2. Era assim uma espécie de óbvio escondido.
    Depois da tua pisat, estive tentado a arriscar, mas gosto sempre de jogar pelo seguro.
    Abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado