segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

ironia...

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco


...encontrar a imagem sensual de uma bela loura, quase despida, quase nua, quase real, a ilustrar este poema de Mário Cesariny...

2 comentários:

  1. Sim, só por uma imensa e "surreal" ironia...

    ResponderEliminar
  2. Eis a prova de que o surrealismo está vivo, imiscuido nas nossas vidas! Pois eu encontrei mesmo uma imagem assim a ilustrar este poema de Cesariny...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado