quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

não cismes... que importam as recordações? no final desta estrada não encontrarás nada quanto muito as angústias, as lamentações aquilo que não fizeste amigos, amantes, sonhos que perdeste tudo o resto ficou espalhado nos caminhos movimentados nas veredas estranhas nas ruas sinuosas e nas curvas inesperadas que percorreste mas não lamentes que as recordações são como flores plantadas na berma da vida. cheira-as apenas não tentes colhê-las. deixa que sequem como ternas lembranças que um dia te ofereceram

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado