segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O Conto do Marinheiro* - Geoffrey Chaucer

Boys Playing on the Shore, Albert Edelfelt
Boys Playing on the Shore
Quadro de Albert Edelfelt

Em tempos havia um Mercador, em São Dinis,
Que por ser rico o julgavam sábio. 
Tinha uma esposa de beleza invulgar, 
Era alegre e gostava de confraternizar, 
Coisa essa que causa mais despesas 
Do que valem todos os cumprimentos afectados 
Que os homens fazem em festas e bailes. 
Tais reverências e composturas festivas 
São passageiras como uma sombra na parede. 
Mas infeliz daquele que por tudo tem de pagar! 
O tolo do marido sempre tem de pagar, 
Ele tem de vestir-nos, ele tem de enfeitar 
Os nossos corpos para a sua reputação enaltecer, 
Enquanto dançamos com toda a ostentação. 
E, se não puder pagar, como por vezes sucede, 
Ou não se submeta a tais extravagâncias 
Por pensar no seu dinheiro desperdiçado, 
Então outra pessoa terá de suportar a despesa 
Ou emprestar-nos dinheiro, o que é perigoso.

Geoffrey Chaucer, In. Contos da Cantuária

*Veio um internauta a navegar até este nosso porto, como um marinheiro perdido, em busca de um porto chamado "O Conto do Marinheiro". O pobre do nosso marinheiro veio enganado, e daqui se foi embora sem nada ter encontrado. Aqui lhe deixamos, para o caso de cá voltar a naufragar, a primeira estrofe; pois o conto é demasiado extenso para ser aqui publicado na totalidade. Quem quiser adquirir este livro, pode tentar junto da editora Publicações Europa-América...

1 comentário:

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado