quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

FUI HABITAR UM VERSO:



Para quem ainda não sabe, encontrei nova morada. Fui habitar um verso de Dylan Thomas. As portas estão abertas, e recebo a qualquer hora quem queira entrar.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

ADEUS*

Um dia vou partir pelo mundo fora de mochila nas costas, dizendo adeus até nunca mais a tudo quanto se cruzar comigo... vou despir-me desta corda asfixiante de esperanças e expectativas, de sonhos e objectivos, de desejos e pretensões, que me tolhe a vontade, e partir... vou partir, só, e sem direcção, rumo ao pôr do sol como Lucky Luke; abandonar os meus livros como Dom Quixote, o fidalgo cavaleiro de La Mancha; vou desapertar a gravata das contas, das prestações, dos cumprimentos, rasgar as camisas dos papéis que tenho aceitado desse encenador cínico chamado Vida, homem com nome de mulher, como nas personagens de Vian. Vou queimar esta roupa encharcada de hipocrisia e partir. E a cada passo direi olá adeus até nunca mais alegre ou triste não sei pessoa que te cruzas comigo. E conversarei também com os objectos, os prédios e os carros, prisões que inventámos e a que chamámos Liberdade, e caminharei na companhia das árvores e dos pássaros, sob a sombra das nuvens, as maravilhosas nuvens que passam... E a cada passo ir-me-ei despindo para que a Morte me encontre nu e eu me possa entregar por completo. 


*1411 Posts, 4 anos, 3 meses, e 16 dias depois, chegou a hora de dizer adeus. Adeus!

Um ENORME Obrigado!, a todas as pessoas que me acompanharam, que comentaram, que me linkaram, enfim, que me aturaram.

Foto de André Benjamim, em Londres.