sábado, 24 de outubro de 2009

NO COMMENTS


terça-feira, 20 de outubro de 2009

VERGONHA!


Tenho vergonha de ter Mário David como compatriota! Exorto-o a demitir-se das suas funções no Parlamento Europeu, e a abdicar da nacionalidade Portuguesa. Quem quiser exortá-lo também, faça-o por e-mail: mario.david@europarl.europa.eu.

Sr. Mário David,

Tenho vergonha de o ter como meu compatriota. Neste sentido, exorto-o a abdicar da nacionalidade Portuguesa.


Vergonhoso


No Facebook!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

ONDE JUSTIÇA É SINÓNIMO DE VINGANÇA*


Para os leitores-não-leitores da Bíblia, uma breve e muito sucinta explicação da Bíblia: Bíblia quer dizer, literalmente, Livro. O mesmo que Corão. A Bíblia é um conjunto de livros, divididos em dois grupos: O Antigo Testamento e o Novo Testamento. O Antigo Testamento pode ainda dividir-se [as classificações, divisões, etc., como devem imaginar. podem ser muitas e diversas, consoante os critérios adoptados, esta é a minha divisão] entre o Pentateuco (literalmente, cinco livros, os cinco primeiros livros que compõem a Bíblia: Génesis; Êxodo; Levítico; Números; e Deuteronómio) e os restantes; bem como no Novo Testamento há [em minha opinião] dois grupos distintos: Os Evangelhos [que são quatro: Mateus, Marcos, Lucas, e João] e os restantes (embora Actos dos Apóstolos possa perfeitamente integrar-se no primeiro grupo). Na exegese oficial, é usual dividir, tanto no Antigo Testamento, como no Novo Testamento, os livros em três grupos: os livros históricos, os didácticos, e os proféticos. Ora, em minha opinião, denominar histórico o Génesis, por exemplo, é perfeitamente idiota, e apenas na cabeça de um criacionista tal coisa pode ser possível. Quanto muito didáctico.

A polémica em torno das palavras de Saramago apenas têm uma justificação, como escrevi no post de ontem: Ignorância! Saramago, como penso que ele próprio disse por outras palavras, limita-se a constatar um facto! O problema é que a maioria dos católicos que conhecem minimamente a Bíblia, não é a Bíblia que conhecem minimamente! Conhecem minimamente os Evangelhos; o Génesis, pouco; muito pouco de Job, Os Salmos, os Actos dos Apóstolos, e o Apocalipse, nome bonito que mais nada significa que revelação. Aliás o livro com que se encerra o cânone oficial da Bíblia. E além disso conhecem a Bíblia interpretada pelo discurso pulpitular do pároco da diocese... Um excerto de Apocalipse:

Os sete flagelos - E ouvi, vinda do Templo, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: «Ide e derramai sobre a Terra as sete taças da Ira de Deus». O primeiro foi derramar a sua taça sobre a terra e uma úlcera maligna e dolorosa feriu os homens que tinham o sinal da Besta e que adoravam a sua imagem.
O segundo derramou a sua taça sobre o mar, que se converteu em sangue, semelhante ao dum morto; e morreram todos os seres vivos que estavam no mar.
O terceiro derramou a sua taça nos rios e nas fontes e estas transformaram-se em sangue. E ouvi o anjo das águas dizer: «Justo és Tu, ó Senhor, que és e que eras, e és Santo, por assim teres feito justiça. Porque eles derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também lhes deste sangue a beber; disso são merecedores».(...)
O quarto derramou a sua taça sobre o Sol e foi-lhe permitido queimar os homens com fogo; (...)
O quinto derramou a sua taça sobre o trono da Besta. O seu reino cobriu-se de trevas e os homens mordiam de dor as suas línguas. (...) (Ap 16, 1-10)


Não, a Bíblia não é um livro para crianças!

Obviamente, na Bíblia também existem mensagens de esperança. Também. Não constituem de todo a regra. A regra é a crueldade, a vingança, o flagelo, a praga, a pedrada, a doença, a ira, a dor, o sofrimento, a morte, o sangue, *o contrário de dar a outra face, o castigo arbitrário, sem hipótese de defesa, apenas porque sim, porque deus acorda mal disposto, e considera que isto ou aquilo é pecado ou outra coisa qualquer.

Opinião pessoal, e final: parece-me que não é do interesse dos «responsáveis» católicos, que a Bíblia seja conhecida. Talvez os católicos (e cristãos em geral) se apercebessem finalmente que os seus pastores são afinal fariseus e negociantes do templo... mas isso é outra história...

Adenda: Aqueles que agora se fartam de apregoar que José Saramago é um escritor medíocre, senil, imbecil, ignorante, oco, etc, etc, são os mesmos que aplaudiram os Prémio PEN Club Português (1982 e 1984) e o Grande Prémio APE 1992, são não são?

Adenda 2: Lá está, não sei quem é Anselmo Borges, professor no Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mas a minha Bíblia Sagrada (sic), Difusora Bíblica, 15.ª Edição, Lisboa - 1991, termina assim: A graça do Senhor Jesus seja com todos vós! Amen. (Ap 22, 21) e não com Jesus Cristo a dizer "Amai os vossos inimigos". Será a minha edição/versão da Bíblia falsa? Ou este senhor que dar ares da sua graça, e o pessoal lê o artigo - impresso no jornal, ou na net - e fica a pensar que sim, que lá está a outra face cristã. Agora, diversas questões se colocam: não devia o jornalista ter consultado uma Bíblia? O sacerdote (sic) está a falar de cor? Está a mentir descaradamente aproveitando a ocasião para apregoar? É apenas uma equívoco? Ora, quando os próprios sacerdotes não conhecem a Bíblia...

domingo, 18 de outubro de 2009

A BÍBLIA É (...) UM CATÁLOGO DE CRUELDADE


Estivéssemos na Idade Média, e José Saramago já não teria podido proferir estas palavras: "A Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana." Felizmente já não estamos, embora não falte por aí quem desejasse que estivéssemos. O que não falta por aí é quem deseje que o Saramago seja apedrejado até à morte, ou que venha um deus qualquer lançar-lhe uma praga [Se acham que o castigo deveria ser outro, façam o favor de consultar o manual, que o que lá não falta são sugestões].

Invejosos, mesquinhos, e idiotas do costume, que nunca abriram uma Bíblia - ou se o fizeram foi mesmo a única coisa que fizeram -, que não fazem a mínima ideia do que lá está escrito, mas que logo acusam o Nobel Português da Literatura de estar senil. E outras imbecilidades, a que não vou dar eco. No fundo os mesmos invejosos, mesquinhos, e idiotas que nunca leram uma linha de um único livro do Saramago, mas quais críticos inspirados pelo divino espírito santo, sabem de fonte segura que o homem não percebe patavina de Literatura, não sabe escrever, e - pasme-se! - não usa um único ponto final nos seus livros! Coitados dos pontos finais, assim discriminados!

E o denominador comum disto tudo? A ignorância!


Ou por outras palavras, de José Saramago: "Na Igreja Católica não vai causar problemas porque os católicos não lêem a Bíblia, só a hierarquia, e eles não estão para se incomodar com isso. Admito que o livro possa incomodar os judeus, mas isso pouco me importa."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

3.º ANIVERSÁRIO


Foi no dia 16 de Outubro de 2006, num ciber-café na minha cidade-natal, que acabei com a minha antiga conta no blogger, associada a um e-mail que já não utilizo, e acabei com o meu antigo blog. E criei este. Que pode parecer egocêntrico devido ao título, porém André Benjamim, para a pessoa que está por detrás da máscara, é tão-só uma personagem. Uma personagem, como o é Tom Jones. Alter-Ego de Henry Fielding? Talvez. Tempo para fazer contas? Já me deixei de contas, arrasto-me através dos dias, como uma sombra de uma sombra de uma sombra que hei-de ser se quem sou alcançar a luz que fará nascer a sombra. Redondos números: um pouco mais que 100.000 visitas, um pouco mais que 3.000 comentários, um pouco menos que 1.500 posts, um pouco menos que 150 seguidores, um pouco menos que 300 subscritores, alguns amigos, muito difícil de contabilizar porquanto um amigo balouça sempre entre o deve e o haver e só quando finalmente o perdemos chegamos a saber se realmente havia ou devia. Devaneios, devaneios apenas de quem não consegue dormir pensar reflectir parar pensar por onde seguir. Barco à deriva. Mas é hora de celebrar. Vamos tomar café! Ou chocolate quente?, que nestes dias de Outono que começa sabe tão bem! Com ponto de exclamação.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

POLÍTICA LOCAL

Não concordo com a maior parte dos textos, i.e., com a maior parte das ideias, que se publicam no blog Combustões. Posto este aparte, não posso deixar de subscrever por baixo o texto de que a seguir deixo um excerto. É o retrato fiel do que me tem sido dado a observar.



Se em Portugal há coisa mais suja pelo compadrio e pelo favorecimento, mais viciada nas artes do arranjismo, do apossamento e do enriquecimento ilícito, criação de emprego sem benefício público, amadorismo e irracionalidade, esbanjamento de recursos, veículo de ascensão para aventureiros, agente de divisão local e inimigo do património natural e histórico, esse dá pelo nome de Poder Local. Infelizmente, a maioria das pessoas que a ele se dedicam não compaginam com a nobre ideia do serviço à comunidade. São famílias, pais, filhos, noras, tios e primos, amiúde gente sem qualquer preparação, quase iletrada, privada de visão de conjunto. São os pequenos caciques dos bombeiros, os líderes das colectividades desportivas, o dono da fabriqueta ou o pato-bravo local acolitados pelo sindicalista, pelo jornal local, pelo professor do liceu, pelo padre da paróquia. (texto completo aqui)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

PRÉMIO NOBEL


Ano após ano, a expectativa é grande. A polémica, a relativização, as apostas, as decepções. No que ao Prémio Nobel da Literatura diz respeito, oiço e leio, comentários que apenas posso tomar por disparates. O disparate de quem não tem a mínima consciência do que é o Prémio Nobel da Literatura. O disparate de quem desconhece por completo o testamento que originou o Prémio. Um excerto:

"(...) Os dividendos referidos serão divididos em cinco partes iguais, por forma a serem atribuídos da seguinte maneira: uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta ou invenção no campo da Física; uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta ou melhoramento no campo da Química; uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta no campo da Fisiologia ou Medicina; uma parte para a pessoa que tenha produzido no campo da Literatura o mais brilhante trabalho de tendência idealista; e uma parte para a pessoa que tenha feito o maior ou melhor trabalho em prol da fraternidade entre as nações, pela abolição ou redução das forças armadas, ou em prol da realização ou pela promoção de congressos pacifistas. (...)"

Ou seja, para quem não entende, ou não quer entender: O Prémio Nobel da Literatura não é um prémio estritamente literário.

Post-Scriptum: E, como esclarece Tiago Ramalho, e se pode confirmar pelo texto do testamento citado acima, não há Prémio Nobel da Economia!

HERTA MÜLLER - PRÉMIO NOBEL LITERATURA 2009


Herta Müller. E nesta senhora, houve alguém que tenha apostado? Se sim, parabéns aos felizes contemplados; se não, o Prémio Nobel da Literatura voltou a ser um bom negócio para as casas de apostas.

"who, with the concentration of poetry and the frankness of prose, depicts the landscape of the dispossessed"

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

CAIM*




*O novo romance de José Saramago. Irei, como sempre, comprá-lo assim que puder: logo que seja colocado à venda nas livrarias, creio que dia 15 do corrente mês de Outubro. Para quem gosta disso de encomendar na internet: Caim no Wook. Caim na Fnac. Eu prefiro entrar na livraria, andar por ali a rondar, como quem fareja, remexer, tocar, abrir, folhear, agarrar, voltar a colocar na estante, às vezes agarro mais um ou dois, ou três, que aquele que estava previsto. E, diabo!, saio sempre angustiado. Não sei se é por causa do dinheiro que lá deixo de cada vez, se é por saber que talvez nem o vá ler, se porque o tempo, a disponibilidade mental, escasseiam cada vez mais (agora me lembro que ainda não li A Viagem do Elefante...)

2666


O meu livro de cabeceira do ano, durante vários anos!*




*Comentário de um amigo após ter lido o comentário do Senhor Palomar: «O livro do ano durante vários anos.», na contracapa do meu exemplar. Ou melhor, foi exactamente assim: "Se eu lesse este tijolo, seria o meu livro de cabeceira do ano durante vários anos."

Imagem: Roberto Bolaño, por Eulogia Merié – algures no El País


Post-Scriptum: Qual a vossa aposta para Nobel da Literatura 2009? (Cliquem para apostar no site da Fnac) Eu aposto Mário Vargas Llosa. Pronto, é mais desejo que convicção. Amos Oz também não ficava mal. A ver vamos...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A DEPILAÇÃO COMO METÁFORA DO QUE SOMOS PARA A SIC*


A propósito de uma reportagem realizada pelo canal generalista, SIC, sobre Mulheres da Guarda que nunca se depilaram, Américo Rodrigues sugere outras reportagens pertinentes:


- Homens da Guarda que coçam os tomates na missa.
- Homens da Guarda que dão traques à mesa e em comícios políticos.
- Rapazes da Guarda que aplicam "leite" de figo no púbis convencidos que assim os pentelhos crescem mais rapidamente (eu próprio fui vítima deste equívoco da sabedoria popular).
- Raparigas que cheiram a estrume, por causa de distúrbios hormonais, e que disfarçam o cheiro regando-se com "Tabu" ou, mesmo, com gasolina (por não aguentarem mais a situação).
- Mulheres da Guarda que tiveram aventuras secretas com lobos, lobisomens e, num caso, com um lince.
- Mulheres da Guarda que nunca usaram supositórios, traumatizadas com o episódio Naftal (esta merece uma aula de história local).
- Homens e mulheres da Guarda que, numa emergência, limpam o rabo a uma couve ou, mesmo, a uma pedra.
- Raparigas da Guarda que aos 16 anos ainda são virgens
.

*Leiam as restantes sugestões no Café Mondego!

PRÉMIO «OLHA QUE BLOG MANEIRO!»


O meu amigo Psilipe (quer dizer, Filipe, mas mal escrito) distinguiu este tasco com o prémio «Olha que blog Maneiro!», no seu blog geometrias variáveis. Daqui lhe deixo um abraço de enternecido agradecimento.  Dizem as regras deste prémio que a) se deve exibir a imagem do selo [ainda não percebi porque é que chamam a isto selo]; b) publicar (ou em linguagem blogosférica «postar») o link de quem nos escolheu [acto que realizei algumas linhas acima]; c) indicar outros blogs [neste ponto as regras são imprecisas, pois não referem um número; nos bons velhos tempos, quando isto dos prémios era viral, i.e., antes de se tornar uma virose, e servia para dar a conhecer a quem nos lê outros blogs de que gostamos, eram cinco os blogs a indicar. Eu vou esticar-me, indicando seis que julgo que nunca indiquei para nenhum prémio - a ordem é aleatória]: 1) Boca de Incêndio, apesar das salutares divergências quanto ao adjectivo «caviar» e porque é o nome de uma revista literária/artística/cultural dinamizada pelo mesmo autor (suspensa ?); 2) A Casa da Árvore, para ver se estimulo o meu amigo Josuué para que publique mais vezes; 3) Eu por aqui... gay!, porque é agradável perceber que há pessoas em Portugal que já entraram no século XXI, apesar de uma sociedade que maioritariamente parece preferir avançar para o século XIX [uma questão de grafia]; 4) detalhes de uma vida, pelas mesmas razões; 5) Ar da Guarda, por causa da poesia, da cidade mais alta para o mundo; e por último 6) Cálssio, além de tudo o mais, por causa das imagens.
As regras do prémio prosseguem com d) avisar os blogs escolhidos; e) publicar as regras [é o que estou a fazer] e, por fim, olha que seca!, f) conferir se passaram o selo e as regras [ora, ora, passem se quiserem!]

Um abraço a todos!