segunda-feira, 12 de outubro de 2009

POLÍTICA LOCAL

Não concordo com a maior parte dos textos, i.e., com a maior parte das ideias, que se publicam no blog Combustões. Posto este aparte, não posso deixar de subscrever por baixo o texto de que a seguir deixo um excerto. É o retrato fiel do que me tem sido dado a observar.



Se em Portugal há coisa mais suja pelo compadrio e pelo favorecimento, mais viciada nas artes do arranjismo, do apossamento e do enriquecimento ilícito, criação de emprego sem benefício público, amadorismo e irracionalidade, esbanjamento de recursos, veículo de ascensão para aventureiros, agente de divisão local e inimigo do património natural e histórico, esse dá pelo nome de Poder Local. Infelizmente, a maioria das pessoas que a ele se dedicam não compaginam com a nobre ideia do serviço à comunidade. São famílias, pais, filhos, noras, tios e primos, amiúde gente sem qualquer preparação, quase iletrada, privada de visão de conjunto. São os pequenos caciques dos bombeiros, os líderes das colectividades desportivas, o dono da fabriqueta ou o pato-bravo local acolitados pelo sindicalista, pelo jornal local, pelo professor do liceu, pelo padre da paróquia. (texto completo aqui)

1 comentário:

  1. Qualquer pessoa com "dois dedos de testa" tem que concordar com este texto...
    Abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado