terça-feira, 29 de setembro de 2009

PATÉTICO!


Erro de casting! Calou-se quando devia ter falado; falou quando devia estar calado; Cavaco Silva ultrapassou «os limites do tolerável e do decente». É caso para perguntarmos «Porquê toda esta manipulação?»











Declaração de Interesses: Fui apoiante de Manuel Alegre, e voltaria a apoiar Manuel Alegre, e volterei a apoiar Manuel Alegre se se candidatar à Presidência da República.

6 comentários:

  1. Tens toda a razão e a escolha do termo é mesmo Patético!!!!

    ResponderEliminar
  2. não, meus caros, melhor que patético parece-me que é mesmo PATETA! é que patético tem que ver com emoções, afectos (pathos), pateta é mesmo tolice. não vos parece que é mais esta a situação?


    abraços

    ResponderEliminar
  3. O PR já começou a ver a sua reeleição por um canudo... :/

    ResponderEliminar
  4. Autêntico suicídio político!!!!
    O que pretende realmente Cavaco?
    Parece ser um individuo algo perigoso em Belém; um primeiro ministro idiota destitui-se - veja-se Santana Lopes; e um presidente da república precocemente senil, o que se faz dele?
    A política portuguesa está neste momento numa encruzilhada, pois é nesta altura com um governo sem maioria absoluta que o papel do presidente é mais importante... Ser´que tem alguma jogada preparada?
    A ver vamos...

    ResponderEliminar
  5. Decepcionou-me muito o seu discurso. Foi extremamente infeliz e não tem perdão, não só pelo cargo que ocupa mas também por todo o silêncio e reserva que cultivou, fazendo-se esperar um rasgo de sapiência. Ao invés, minou a confiança e o respeito político no geral...


    Tendo em conta que o país ainda está em processo eleitoral, que há um governo com maioria relativa e que ainda falta a indigitação quando já paira a sombra das coligações, estamos numa conjuntura política perfeita para um Inverno Quente...

    ResponderEliminar
  6. Enfim, já quando era primeiro ministro se calava, à medida que o tempo passa entendo cada vez melhor porquê.

    Não disse nada que se aproveitasse. À sua maneira lá foi discursando atirando tantas pedras quantas podia ao PS e com uma pequena defesa ao PSD; nem esperava outra coisa, a imparcialidade Cavaquista!

    O que ficou foi muito por dizer, tal como ficou por dizer porque é que devido ao caso das escutas na casa civil da presidência, foi um seu amigo acessor demitido, sendo este do PSD e não um qualquer do PS! Cavaco não tem jeito para esconder, porque quem esteve atento bem se apercebeu que algo ficou por se saber, ou seja, o que realmente se passou.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado