domingo, 3 de maio de 2009

JANTAR*



*Mais informações: WhyNotNow.

3 comentários:

  1. Obrigado André, pela divulgação do "desenho" do nosso jantar, da autoria do Paulo.
    Finalmente, vou dar-te um abraço real.

    ResponderEliminar
  2. Finalmente! Enquanto isso não acontece, um forte abraço virtual!: Abraço.

    ResponderEliminar
  3. André

    Perceberás agora porque nao comentei esta tua publicidade neste dia, e so agora, depois do jantar escrevo neste post.

    Basta leres

    http://sairdaspalavras.blogspot.com/2009/05/paz-ou-perseguicao-do-pinguim.html


    e que nos dias seguintes me deixou KO. Tal como digo no post de onde regressei depois de tudo isto me causar mossa (ainda ha pessoas assim, como eu, que NÃO se vitimizam mas se magoam MUITO):

    "Nesta semana cresci mais do que julguei. Pela negativa. Mas cresci. E precisei de me afastar. Porque estou habituado a julgar os outros por mim (estúpido não é?) e acabo por me desencantar com pessoas que apenas virtualmente conheço (ou nem tanto) mas simplesmente decidiram "marcar-me" [saberão elas em nome de quê]. Quero agradecer na mesma, sobretudo a cautela com que perceberam o desabafo, sem desejarem mal a ninguém, tal como eu não desejo, a não ser a capacidade de isenção e de justiça. Sobre isso, nao mudo um milimetro nos valores. Mesmo que ficasse virtualmente só. Obrigado pela forma cuidadosa como opinaram sobre o sucedido, como me deram força, e como apostaram em mim. Onde há fumo ha fogo. E só tenho pena, nao desprezo nem raiva, que tal como então terminava o post: "A Paz não existe no mundo, porque nao começa entre as pessoas".


    Desculpa, André, esta minha defesa da honra, mas sem desejar qualquer mal ao Pinguim, e como um adolescente que detesta a mentira ou o mal ao outro, nao suportei que uma pessoa com o suposto calibre dele fizesse o que fez (que nao foi nada, mas devagarinho se denegrim as pessoas).

    Apaga-me, André, se quiseres, mas nao ha duas realidades, e se verificares a resposta do Pinguim, omite quem escreve (eu) porque nao ha duas verdades. Decidi escrever isto sob pena de diminuirem as pessoas que me sigam ou lêem. Mas importa SEMPRE a autenticidade, e nao o desejar mal aos outros ou ter muitas pessoas a seguirem-me.

    O meu post foi confundido com desejar mal, mas nao confundo sentido de justiça com maledicência. E o Pinguim, por mais que o conheçam, foi maledizente e nunca se rectratou. Nao so me deseja desprezo com letras maiusculas, como impediu tacitamente a participaçao no jantar como ainda diz que me saiu o tiro pela culatra, invertendo o ónus da situação.

    Fica na tua consciencia o que quiseres. Por mim, nada quero, a nao ser a verdade, mas sobretudo o sentido de justiça. Podemos ser amigos de todos, podemos gostar mais de uns do que outros, mas nada disso justifica atitudes tacitamente persecutorias de alguem cuja suposta experiencia de vida lhe conferisse um maior humanismo.

    Escrevo porque são coisas que magoam, e sobretudo, denigrem a pessoa em causa (eu). E ja estava a acontecer como refiro no post. pelo que se o nao tivesse escrito, estaria a perder o respeito comigo mesmo.

    Nao peço nada. Todos podemos ser amigos de todos. Apenas devemos ser mais humildes e nunca devemos desprezar ninguem.

    Desculpa o enorme público desabafo, que faço por algumas pessoas nao se terem apercebido de que este post que termina com DESPREZO por parte do Pinguim (o que na realidade significa raiva)era sobre mim. Mas tal como disse no post posterior do meu canto, antes só, ainda que virtualmente, do que deixar vilipendiar o meu nome por motivos tao mesquinhos mas que, quais metastases, devagarinho formam um cancro.

    Obrigado por me teres lido. E embora ainda estejas a quente pelo jantar , é natural que desconfies de mim, fico feliz por te pôr a par de tudo, e nao apenas o que parcelarmente vai convindo ao Pinguim. Sê amigo do Pinguim, claro, mas nao deixes nunca de ser isento e de ouvir sempre todas as partes. O Pinguim nao cometeu um crime, mas aquelas raivazinhas que se permitem aos adolescentes e que se espraiam em comentarios tacitos que ia deixando, nao lhe dao o direito de o fazer.

    Com amizade igual a todos pela net, incluindo o proprio Pinguim, embora nada lhe possa agradecer,

    Daniel

    P.S. - Apague-me se quiser. Dois já o fizeram. Mas quando nao supomos uma actuaçao de alguem que conhecemos melhor, instintivamente vamos culpar quem nao conhecemos. E entre amigos e sentuido de justiça e verticalidade ética, perfiro escrever mesmo que ninguém me acompanhe. E so agora, depois do jantar, quis escrever a cada um, publicamente, sob pena de nao terem visto o post.

    Obrigado

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado