quinta-feira, 19 de março de 2009

DIA MUNDIAL DA POESIA


Post Scriptum: O Daniel alertou-me para o facto de faltar a localidade; realmente, por vezes esquecemo-nos do óbvio, é no Café Concerto, do Teatro Municipal da Guarda, na Guarda, a cidade mais alta, dos 5 F's...

4 comentários:

  1. quando te ouvi ler o de dylan thomas realizei que ninguém tinha vinho nos lábios, e que devia ser proibido recitar poesia sem vinho nos lábios, e que diferente soariam todas se lidas como aquele, e que diferente soariam todas se lidas pelos próprios, e que faltou camões, e que se abusou do séc. XX, e que se abusou do à-vontade nas mesas, e que o duarte ficou contente pela gentileza, e que era bom que se voltasse a repetir o evento.

    ResponderEliminar
  2. olá galo, proibido não diria, pois a poesia é, antes de tudo, liberdade; eu, trocaria o vinho por whisky (numa próxima); os próprios, não sei como os leriam... quanto ao século xx, confesso que tinha planeada a leitura de Camões, Sá de Miranda, e António Barbosa Bacelar... Porém, o facto de não ter tido tempo para fazer a escolha dos poemas, acabou por deixar esses nomes de fora da minha lista. Faltou tu e o duarte perderem a timidez (talvez na próxima que se volte a repetir o evento)! um abraço. e finalmente fiquei a saber quem é o famoso galo!

    ResponderEliminar
  3. Olá Daniel, acrescentei o post... realmente!

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado