terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

JOSÉ SOUSA - 5 ABRIL'83 - 9 FEVEREIRO'09*

Estou agora
Condenado
Pela letal
Previsão
Das coisas
Sonhadas no fundo
Do âmago
De aqui estar
Em estado
De transe ausente
De tudo.
Falta-me o
Brilho que me
Trazes
Pela volúpia
Do teu estar…
Pela maneira que
Te dás sem
O querer
Lá bem no íntimo.
Mas assim é
O Amor…


*Publicou sobre o Amor e outras cousas, e dicotomia. Até Sempre!

Adenda (11/02/2009): O poema acima citado é da obra sobre o Amor e outras cousas, do Zé Manel.

5 comentários:

  1. Muito fixe o poema.

    É pena o que se sucedeu com o autor...

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. olá Daniel, é como o José termina, que o poema é dele. Abraço

    ResponderEliminar
  3. Só soube agora do Sousa... já não o via há anos.
    Ainda me lembro dele no Seminário na Guarda e depois já aqui em Coimbra.
    Seguiu o seu destino

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado