quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

AO SR. A*

O Sr. A passava o tempo a maltratar os outros, a falar mal de tudo e de todos. Só andava contente quando andava sozinho. Nunca conseguira concretizar os seus sonhos de infância, pelo que era e sempre fora um frustrado. Morreu. Ninguém foi ao seu funeral, apenas o padre, a sua esposa e os seus três filhos, que foram por pena de tão triste figura. Por fim, todos chegaram a uma conclusão: não podemos gostar dos outros se não gostarmos de nós próprios… Devemos lutar por concretizar os nossos sonhos de sempre, ou até o nosso funeral será uma falhanço!
José Sousa (1983-2009). Publicou sobre o Amor e outras cousas, e dicotomia.

10 comentários:

  1. ora nem mais :) .. eu por acaso acho que já li qualquer coisa num livro ou num texto qualquer, sobre uma história deste género, e realmente faz todo o sentido :)

    beijinhosss

    ResponderEliminar
  2. sorte dele ainda ter se casadao e ter tido filhos... senão teria bem mais solitário.

    conheci alguém assim.
    :)

    boa lembrança

    ResponderEliminar
  3. É melhor nao esquecer o Sr. A
    para lembrar de nao fazer como ele!

    ResponderEliminar
  4. Sábias palavras, tenho um vizinho que encaixa perfeitamente nessa descrição.

    ResponderEliminar
  5. Olá Teresa, há muita gente assim... e todos temos um pouco de misantropo... beijinho

    ResponderEliminar
  6. hummm Calado, isso é alguma indirecta para o meu lado misantropo?!? Abraço

    ResponderEliminar
  7. olá winnie, eu tenho a sorte (ou o azar) de não ter vizinhos... he he he

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado