segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

5 DE JANEIRO DE 2009

Para mim começou hoje - sim, para mim começou, já há bastantes horas - o novo ano. Porque apenas hoje início um novo ciclo. Porque apenas hoje regresso ao trabalho, pois desde dia 31 que estava numa espécie de pausa, que não era nem férias nem trabalho. Em boa verdade, esta pausa foi um limbo que durava já desde dia 19 de Dezembro, com a diferença que até dia 31 passei esse limbo no trabalho, e após 31 em descanso. Formas de dizer, pois nem o trabalho era trabalho, nem o descanso foi descanso.
Enfim, antes de continuar este texto fragmentado, a modos que esquizofrénico, uma nota: quando após a passagem de ano apanhei o metro - não importa de onde para onde, mas ainda assim consegui passar pelas quatro linhas - eram 7 horas da manhã, de dia 01 - portanto - feriado - todos os rostos tinham um ar cansado. Pela atitude e expressões, deduzi que fossem pessoas que - como eu - tentavam regressar a casa (sim: tentavam; porque depois de uma noite inteira de vadiagem, não é fácil). Mas nem para todos era assim: alguns tinham ar de quem ia trabalhar: vinham todos nas mesmas carruagens, todos de um mesmo local. Enfim, pensei. Triste vida.
Voltando atrás. Depois de 16 dias em que pouco fiz, ou nada - para além de ter que estar de corpo presente, o que às vezes é uma chatice ainda maior, hoje recomeça verdadeiramente o trabalho. A semana volta a ser completa, sem feriados que a interrompam. Isto provoca-me náuseas físicas e psicológicas: tenho uma valente dor de estômago, acompanhada por uma dor de cabeça descomunal: e o pior é que tenho a sensação que as dores não são exactamente em mim, mas em alguém dentro de mim.
Tomei para este ano a resolução de quebrar. As rotinas, a vida que tive (ou aquela que não tive) até aqui. Decidi que este ano seria um marco (à falta de melhor termo); quero fazer do que foi até aqui um antes, e do que virá, um depois. E voltar ao trabalho não é nada bom sinal.
Falando em linguagem obamaniana: mudança. Poderei? Percorrer a estrada, sem destino...

Outra coisa, para não ter que criar um post novo apenas para dizer isto (e além de mais a imagem deste post está mesmo a condizer): talvez seja um bocado parvo, mas dá imenso jeito!

9 comentários:

  1. Olá, Andrè. Obrigado pela tua visita. :)
    Compreendo as tuas dores de cabeça no regresso á rotina - estou na mesma.
    Apesar disso, espero que tenhas um grande 2009 e que as tuas resoluções tenham correspondência práctica. Nada como um boa ruptura (deliberada) de vez em quando... ;)
    Um abraço forte.

    ResponderEliminar
  2. Olá, Andrè.
    Obrigado pela tua visita.
    :)
    Compreendo as tuas dores de cabeça no regresso á rotina - estou na mesma.
    Apesar disso, espero que tenhas um grande 2009 e que as tuas resoluções tenham correspondência práctica. Nada como um boa ruptura (deliberada) de vez em quando...
    ;)
    Um abraço forte.

    ResponderEliminar
  3. Este texto tem todo o sentido, pois na realidade para a maior parte dos portugueses, hoje começou realmente o ano e mesmo as "festas" que tradicionalmente costumam acabar no Dia de Reis, amanhã, pode dizer-se que acabaram hoje...
    A palavra "limbo" por ti usada para estes dias intermédios não podia ter sido melhor escolhida.
    A foto é linda, e os "seguidores" informam-nos que há gente, que não comenta nunca, que nós desconhecemos, mas que nos acompanha, o que é sempre positivo; e até já descobri 2 ou 3 blogs interessantes através dos "seguidores"...
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  4. Talvez porque me posso dar a isso, até acho que preciso das rotinas. Não que não precisem de ser quebradas, mas porque permitem pensar com melhor eficácia a forma de as quebrar. E o trabalho também me dá sentido, creio. Abraço e tudo de bom para o novo ano que hoje começa!

    ResponderEliminar
  5. Força no novo ano...na mudança...na ruptura do limbo...no raiar de um novo Março...quebra as rotinas e...para as dores talvez seja bom o Brufene ;) ou Benuron...resultam quase sempre.

    Beijinhos e bom ano

    ResponderEliminar
  6. olá K, penso que Janeiro é o mês mais difícil de passar... sim, a ver se faço a ruptura, embora não vivamos uma época fácil para fazer rupturas (embora seja talvez a melhor época para se fazerem)... muito obrigado pela visita e comentário.

    ResponderEliminar
  7. olá pinguim, eu acho que os seguidores foi a melhor coisa que a blogger inventou desde que deu a possibilidade de fazer upload de fotos! (ainda sou do tempo em que fotos só alojadas noutro site e com html...). eu também tenho descoberto bastantes blogs novos... pena que só dê para 200! Abraço

    ResponderEliminar
  8. olá Arion, a mim as rotinas deixam-me num estado miserável! começo a entrar em parafuso! ando até a ficar stressado por causa das rotinas...! (nem quero pensar nisso) Grande Abraço

    ResponderEliminar
  9. olá Manuela, nunca gostei de medicamentos. tomo muito poucos! mas achei piada ;-) Preciso da mudança. Acho que fui contagiado pelo Obama, eu que era pela Hillary! Beijinhos

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado