sexta-feira, 18 de dezembro de 2009


Imagem via Crónica das Horas Perdidas.

Apenas para roçar o foleiro, usar do lugar-comum, mas principalmente irritar pessoas que me irritam profundamente, declaro: "Com 9 anos de atraso, Portugal prepara-se para alcançar finalmente o século XXI" Nem que fosse apenas para me rir ao ler tamanhos dislates, já valeria a pena! Que pena que tenho desses maricas cobardes, com mulheres-a-dias em casa, e a foder nos vãos de escada com cunhados, primos, e enteados ou afilhados! Com a bênção da Santa Madre Igreja! E que saudades sinto dessa família tradicional, com a tradicional bofetada no estafermo do garoto que não se cala, a porrada na mulher - se não souberes porquê, não te preocupes, que ela sabe! - que é chata! Tenho pena desses mariquinhas pé-de-salsa, coitados! Já não lhes bastava viverem com eles próprios toda a vida, terem agora que suportar os vizinhos casados com quem eles queriam! Até agora ainda tinham a desculpa que não podiam! Depois do broche, bebiam o copo de vinho, batiam na mulher, chamavam paneleiro ao filho! Agora ainda terem que assistir ao beijo do vizinho no namorado, noivo daqui a uns meses, quase casado!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Piet Veerman - Driving Home for Christmas

Tenho andado ausente, mas não deixo de visitar os vossos blogs. Espero voltar depois do Natal, se até lá arranjar um layout novo... E prendinhas?

terça-feira, 3 de novembro de 2009

AVATAR


Tenho passado mais tempo no facebook que na vida real, levo o computador para os cafés, peço uma água, e vou ver como andam os animais ou as plantas na minha quinta, eu que sempre detestei agricultura, e que até hoje apenas cultivei a minha árvore de culto, um azevinho - um frondoso azevinho, tenho-vos a dizer! Os dias custam. Os amigos e conhecidos, ocupados nas suas vidas, estão longe. O trabalho cansa, e não compensa. Mas ali estão todos, e outros que nunca verei, a quem nunca perscrutarei o brilho no olhar, o aroma, o tacto, a pele. Todos à distância de uma palavra de circunstância, circunstancial e inconsequente. Redesenhados, recriações de um mundo, de uma vida, de um tempo, que talvez tenhamos tido, que talvez tenhamos perdido. Há sempre um coração para oferecer, um sorriso, um coelho ou uma oliveira, uma arma de calibre inimaginável na nossa máfia privada, ou um saco de moedas para ir para o parque de diversões. Há sempre um pedido para satisfazer, ou uma causa para apoiar. E nós estamos sempre lá, como um ombro amigo, ombro que nos ampara sempre que pedimos, ou ainda antes. Assim vale a pena. Assim amigo, amizade, amor, solidariedade, são palavras com sentido; oh coração, com sentido intimo! Assim, que não trocaria a vida real pelo facebook? Depois, a bateria acaba e é hora de ir para casa, para a casa vazia, ou ocupada por outros que no fundo nos são estranhos - tens facebook? - para o quarto desarrumado - lembrei-me agora que tenho que ir cuidar do meu apartamento. Até já!


P.S. Digam lá se a minha versão virtual não é bem mais bonita que a real?

terça-feira, 20 de outubro de 2009

VERGONHA!


Tenho vergonha de ter Mário David como compatriota! Exorto-o a demitir-se das suas funções no Parlamento Europeu, e a abdicar da nacionalidade Portuguesa. Quem quiser exortá-lo também, faça-o por e-mail: mario.david@europarl.europa.eu.

Sr. Mário David,

Tenho vergonha de o ter como meu compatriota. Neste sentido, exorto-o a abdicar da nacionalidade Portuguesa.


Vergonhoso


No Facebook!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

ONDE JUSTIÇA É SINÓNIMO DE VINGANÇA*


Para os leitores-não-leitores da Bíblia, uma breve e muito sucinta explicação da Bíblia: Bíblia quer dizer, literalmente, Livro. O mesmo que Corão. A Bíblia é um conjunto de livros, divididos em dois grupos: O Antigo Testamento e o Novo Testamento. O Antigo Testamento pode ainda dividir-se [as classificações, divisões, etc., como devem imaginar. podem ser muitas e diversas, consoante os critérios adoptados, esta é a minha divisão] entre o Pentateuco (literalmente, cinco livros, os cinco primeiros livros que compõem a Bíblia: Génesis; Êxodo; Levítico; Números; e Deuteronómio) e os restantes; bem como no Novo Testamento há [em minha opinião] dois grupos distintos: Os Evangelhos [que são quatro: Mateus, Marcos, Lucas, e João] e os restantes (embora Actos dos Apóstolos possa perfeitamente integrar-se no primeiro grupo). Na exegese oficial, é usual dividir, tanto no Antigo Testamento, como no Novo Testamento, os livros em três grupos: os livros históricos, os didácticos, e os proféticos. Ora, em minha opinião, denominar histórico o Génesis, por exemplo, é perfeitamente idiota, e apenas na cabeça de um criacionista tal coisa pode ser possível. Quanto muito didáctico.

A polémica em torno das palavras de Saramago apenas têm uma justificação, como escrevi no post de ontem: Ignorância! Saramago, como penso que ele próprio disse por outras palavras, limita-se a constatar um facto! O problema é que a maioria dos católicos que conhecem minimamente a Bíblia, não é a Bíblia que conhecem minimamente! Conhecem minimamente os Evangelhos; o Génesis, pouco; muito pouco de Job, Os Salmos, os Actos dos Apóstolos, e o Apocalipse, nome bonito que mais nada significa que revelação. Aliás o livro com que se encerra o cânone oficial da Bíblia. E além disso conhecem a Bíblia interpretada pelo discurso pulpitular do pároco da diocese... Um excerto de Apocalipse:

Os sete flagelos - E ouvi, vinda do Templo, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: «Ide e derramai sobre a Terra as sete taças da Ira de Deus». O primeiro foi derramar a sua taça sobre a terra e uma úlcera maligna e dolorosa feriu os homens que tinham o sinal da Besta e que adoravam a sua imagem.
O segundo derramou a sua taça sobre o mar, que se converteu em sangue, semelhante ao dum morto; e morreram todos os seres vivos que estavam no mar.
O terceiro derramou a sua taça nos rios e nas fontes e estas transformaram-se em sangue. E ouvi o anjo das águas dizer: «Justo és Tu, ó Senhor, que és e que eras, e és Santo, por assim teres feito justiça. Porque eles derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também lhes deste sangue a beber; disso são merecedores».(...)
O quarto derramou a sua taça sobre o Sol e foi-lhe permitido queimar os homens com fogo; (...)
O quinto derramou a sua taça sobre o trono da Besta. O seu reino cobriu-se de trevas e os homens mordiam de dor as suas línguas. (...) (Ap 16, 1-10)


Não, a Bíblia não é um livro para crianças!

Obviamente, na Bíblia também existem mensagens de esperança. Também. Não constituem de todo a regra. A regra é a crueldade, a vingança, o flagelo, a praga, a pedrada, a doença, a ira, a dor, o sofrimento, a morte, o sangue, *o contrário de dar a outra face, o castigo arbitrário, sem hipótese de defesa, apenas porque sim, porque deus acorda mal disposto, e considera que isto ou aquilo é pecado ou outra coisa qualquer.

Opinião pessoal, e final: parece-me que não é do interesse dos «responsáveis» católicos, que a Bíblia seja conhecida. Talvez os católicos (e cristãos em geral) se apercebessem finalmente que os seus pastores são afinal fariseus e negociantes do templo... mas isso é outra história...

Adenda: Aqueles que agora se fartam de apregoar que José Saramago é um escritor medíocre, senil, imbecil, ignorante, oco, etc, etc, são os mesmos que aplaudiram os Prémio PEN Club Português (1982 e 1984) e o Grande Prémio APE 1992, são não são?

Adenda 2: Lá está, não sei quem é Anselmo Borges, professor no Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mas a minha Bíblia Sagrada (sic), Difusora Bíblica, 15.ª Edição, Lisboa - 1991, termina assim: A graça do Senhor Jesus seja com todos vós! Amen. (Ap 22, 21) e não com Jesus Cristo a dizer "Amai os vossos inimigos". Será a minha edição/versão da Bíblia falsa? Ou este senhor que dar ares da sua graça, e o pessoal lê o artigo - impresso no jornal, ou na net - e fica a pensar que sim, que lá está a outra face cristã. Agora, diversas questões se colocam: não devia o jornalista ter consultado uma Bíblia? O sacerdote (sic) está a falar de cor? Está a mentir descaradamente aproveitando a ocasião para apregoar? É apenas uma equívoco? Ora, quando os próprios sacerdotes não conhecem a Bíblia...

domingo, 18 de outubro de 2009

A BÍBLIA É (...) UM CATÁLOGO DE CRUELDADE


Estivéssemos na Idade Média, e José Saramago já não teria podido proferir estas palavras: "A Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana." Felizmente já não estamos, embora não falte por aí quem desejasse que estivéssemos. O que não falta por aí é quem deseje que o Saramago seja apedrejado até à morte, ou que venha um deus qualquer lançar-lhe uma praga [Se acham que o castigo deveria ser outro, façam o favor de consultar o manual, que o que lá não falta são sugestões].

Invejosos, mesquinhos, e idiotas do costume, que nunca abriram uma Bíblia - ou se o fizeram foi mesmo a única coisa que fizeram -, que não fazem a mínima ideia do que lá está escrito, mas que logo acusam o Nobel Português da Literatura de estar senil. E outras imbecilidades, a que não vou dar eco. No fundo os mesmos invejosos, mesquinhos, e idiotas que nunca leram uma linha de um único livro do Saramago, mas quais críticos inspirados pelo divino espírito santo, sabem de fonte segura que o homem não percebe patavina de Literatura, não sabe escrever, e - pasme-se! - não usa um único ponto final nos seus livros! Coitados dos pontos finais, assim discriminados!

E o denominador comum disto tudo? A ignorância!


Ou por outras palavras, de José Saramago: "Na Igreja Católica não vai causar problemas porque os católicos não lêem a Bíblia, só a hierarquia, e eles não estão para se incomodar com isso. Admito que o livro possa incomodar os judeus, mas isso pouco me importa."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

3.º ANIVERSÁRIO


Foi no dia 16 de Outubro de 2006, num ciber-café na minha cidade-natal, que acabei com a minha antiga conta no blogger, associada a um e-mail que já não utilizo, e acabei com o meu antigo blog. E criei este. Que pode parecer egocêntrico devido ao título, porém André Benjamim, para a pessoa que está por detrás da máscara, é tão-só uma personagem. Uma personagem, como o é Tom Jones. Alter-Ego de Henry Fielding? Talvez. Tempo para fazer contas? Já me deixei de contas, arrasto-me através dos dias, como uma sombra de uma sombra de uma sombra que hei-de ser se quem sou alcançar a luz que fará nascer a sombra. Redondos números: um pouco mais que 100.000 visitas, um pouco mais que 3.000 comentários, um pouco menos que 1.500 posts, um pouco menos que 150 seguidores, um pouco menos que 300 subscritores, alguns amigos, muito difícil de contabilizar porquanto um amigo balouça sempre entre o deve e o haver e só quando finalmente o perdemos chegamos a saber se realmente havia ou devia. Devaneios, devaneios apenas de quem não consegue dormir pensar reflectir parar pensar por onde seguir. Barco à deriva. Mas é hora de celebrar. Vamos tomar café! Ou chocolate quente?, que nestes dias de Outono que começa sabe tão bem! Com ponto de exclamação.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

POLÍTICA LOCAL

Não concordo com a maior parte dos textos, i.e., com a maior parte das ideias, que se publicam no blog Combustões. Posto este aparte, não posso deixar de subscrever por baixo o texto de que a seguir deixo um excerto. É o retrato fiel do que me tem sido dado a observar.



Se em Portugal há coisa mais suja pelo compadrio e pelo favorecimento, mais viciada nas artes do arranjismo, do apossamento e do enriquecimento ilícito, criação de emprego sem benefício público, amadorismo e irracionalidade, esbanjamento de recursos, veículo de ascensão para aventureiros, agente de divisão local e inimigo do património natural e histórico, esse dá pelo nome de Poder Local. Infelizmente, a maioria das pessoas que a ele se dedicam não compaginam com a nobre ideia do serviço à comunidade. São famílias, pais, filhos, noras, tios e primos, amiúde gente sem qualquer preparação, quase iletrada, privada de visão de conjunto. São os pequenos caciques dos bombeiros, os líderes das colectividades desportivas, o dono da fabriqueta ou o pato-bravo local acolitados pelo sindicalista, pelo jornal local, pelo professor do liceu, pelo padre da paróquia. (texto completo aqui)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

PRÉMIO NOBEL


Ano após ano, a expectativa é grande. A polémica, a relativização, as apostas, as decepções. No que ao Prémio Nobel da Literatura diz respeito, oiço e leio, comentários que apenas posso tomar por disparates. O disparate de quem não tem a mínima consciência do que é o Prémio Nobel da Literatura. O disparate de quem desconhece por completo o testamento que originou o Prémio. Um excerto:

"(...) Os dividendos referidos serão divididos em cinco partes iguais, por forma a serem atribuídos da seguinte maneira: uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta ou invenção no campo da Física; uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta ou melhoramento no campo da Química; uma parte para a pessoa que tenha levado a cabo a maior descoberta no campo da Fisiologia ou Medicina; uma parte para a pessoa que tenha produzido no campo da Literatura o mais brilhante trabalho de tendência idealista; e uma parte para a pessoa que tenha feito o maior ou melhor trabalho em prol da fraternidade entre as nações, pela abolição ou redução das forças armadas, ou em prol da realização ou pela promoção de congressos pacifistas. (...)"

Ou seja, para quem não entende, ou não quer entender: O Prémio Nobel da Literatura não é um prémio estritamente literário.

Post-Scriptum: E, como esclarece Tiago Ramalho, e se pode confirmar pelo texto do testamento citado acima, não há Prémio Nobel da Economia!

HERTA MÜLLER - PRÉMIO NOBEL LITERATURA 2009


Herta Müller. E nesta senhora, houve alguém que tenha apostado? Se sim, parabéns aos felizes contemplados; se não, o Prémio Nobel da Literatura voltou a ser um bom negócio para as casas de apostas.

"who, with the concentration of poetry and the frankness of prose, depicts the landscape of the dispossessed"

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

CAIM*




*O novo romance de José Saramago. Irei, como sempre, comprá-lo assim que puder: logo que seja colocado à venda nas livrarias, creio que dia 15 do corrente mês de Outubro. Para quem gosta disso de encomendar na internet: Caim no Wook. Caim na Fnac. Eu prefiro entrar na livraria, andar por ali a rondar, como quem fareja, remexer, tocar, abrir, folhear, agarrar, voltar a colocar na estante, às vezes agarro mais um ou dois, ou três, que aquele que estava previsto. E, diabo!, saio sempre angustiado. Não sei se é por causa do dinheiro que lá deixo de cada vez, se é por saber que talvez nem o vá ler, se porque o tempo, a disponibilidade mental, escasseiam cada vez mais (agora me lembro que ainda não li A Viagem do Elefante...)

2666


O meu livro de cabeceira do ano, durante vários anos!*




*Comentário de um amigo após ter lido o comentário do Senhor Palomar: «O livro do ano durante vários anos.», na contracapa do meu exemplar. Ou melhor, foi exactamente assim: "Se eu lesse este tijolo, seria o meu livro de cabeceira do ano durante vários anos."

Imagem: Roberto Bolaño, por Eulogia Merié – algures no El País


Post-Scriptum: Qual a vossa aposta para Nobel da Literatura 2009? (Cliquem para apostar no site da Fnac) Eu aposto Mário Vargas Llosa. Pronto, é mais desejo que convicção. Amos Oz também não ficava mal. A ver vamos...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A DEPILAÇÃO COMO METÁFORA DO QUE SOMOS PARA A SIC*


A propósito de uma reportagem realizada pelo canal generalista, SIC, sobre Mulheres da Guarda que nunca se depilaram, Américo Rodrigues sugere outras reportagens pertinentes:


- Homens da Guarda que coçam os tomates na missa.
- Homens da Guarda que dão traques à mesa e em comícios políticos.
- Rapazes da Guarda que aplicam "leite" de figo no púbis convencidos que assim os pentelhos crescem mais rapidamente (eu próprio fui vítima deste equívoco da sabedoria popular).
- Raparigas que cheiram a estrume, por causa de distúrbios hormonais, e que disfarçam o cheiro regando-se com "Tabu" ou, mesmo, com gasolina (por não aguentarem mais a situação).
- Mulheres da Guarda que tiveram aventuras secretas com lobos, lobisomens e, num caso, com um lince.
- Mulheres da Guarda que nunca usaram supositórios, traumatizadas com o episódio Naftal (esta merece uma aula de história local).
- Homens e mulheres da Guarda que, numa emergência, limpam o rabo a uma couve ou, mesmo, a uma pedra.
- Raparigas da Guarda que aos 16 anos ainda são virgens
.

*Leiam as restantes sugestões no Café Mondego!

PRÉMIO «OLHA QUE BLOG MANEIRO!»


O meu amigo Psilipe (quer dizer, Filipe, mas mal escrito) distinguiu este tasco com o prémio «Olha que blog Maneiro!», no seu blog geometrias variáveis. Daqui lhe deixo um abraço de enternecido agradecimento.  Dizem as regras deste prémio que a) se deve exibir a imagem do selo [ainda não percebi porque é que chamam a isto selo]; b) publicar (ou em linguagem blogosférica «postar») o link de quem nos escolheu [acto que realizei algumas linhas acima]; c) indicar outros blogs [neste ponto as regras são imprecisas, pois não referem um número; nos bons velhos tempos, quando isto dos prémios era viral, i.e., antes de se tornar uma virose, e servia para dar a conhecer a quem nos lê outros blogs de que gostamos, eram cinco os blogs a indicar. Eu vou esticar-me, indicando seis que julgo que nunca indiquei para nenhum prémio - a ordem é aleatória]: 1) Boca de Incêndio, apesar das salutares divergências quanto ao adjectivo «caviar» e porque é o nome de uma revista literária/artística/cultural dinamizada pelo mesmo autor (suspensa ?); 2) A Casa da Árvore, para ver se estimulo o meu amigo Josuué para que publique mais vezes; 3) Eu por aqui... gay!, porque é agradável perceber que há pessoas em Portugal que já entraram no século XXI, apesar de uma sociedade que maioritariamente parece preferir avançar para o século XIX [uma questão de grafia]; 4) detalhes de uma vida, pelas mesmas razões; 5) Ar da Guarda, por causa da poesia, da cidade mais alta para o mundo; e por último 6) Cálssio, além de tudo o mais, por causa das imagens.
As regras do prémio prosseguem com d) avisar os blogs escolhidos; e) publicar as regras [é o que estou a fazer] e, por fim, olha que seca!, f) conferir se passaram o selo e as regras [ora, ora, passem se quiserem!]

Um abraço a todos!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

ANTIDEPRESSIVOS*



O melhor antidepressivo ainda é: três horas de conversa burguesa entre amigos ávidos por dizer a melhor frase da noite.


*Título do post e texto acima do blog Sete Sombras, de Pedro Lomba. Um blog Fantástico! Cheguei lá através deste post: O meu melhor amigo.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

PATÉTICO!


Erro de casting! Calou-se quando devia ter falado; falou quando devia estar calado; Cavaco Silva ultrapassou «os limites do tolerável e do decente». É caso para perguntarmos «Porquê toda esta manipulação?»











Declaração de Interesses: Fui apoiante de Manuel Alegre, e voltaria a apoiar Manuel Alegre, e volterei a apoiar Manuel Alegre se se candidatar à Presidência da República.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

2666


Até há poucos meses nada sabia sobre este autor, Roberto Bolaño, que terá escrito até ao último suspiro, febril e compulsivamente, talvez angustiado, o livro 2666. Nada sabia significa que nem o nome conhecia. Porém, nos últimos meses não houve autor ou obra alguma sobre a qual tenha lido mais posts, crónicas, notícias. Nunca tinha dado conta de tanto marketing, publicidade, até entusiasmo, em torno da publicação de um livro. A obra deve ser boa (genial até, palavra ingrata entre a elite artística), tão boa que leva a que a apregoam os críticos literários aquém e além fronteiras. Isto tudo para dizer que vou comprar o tal romance com mais de mil páginas de que tanto se escreve na blogosfera. Não porque de há uns meses para cá tenha ficado a saber alguma coisa sobre este segredo bem guardado da literatura latino-americana, mas porque não quero ficar fora do grupo daqueles que vão conhecer o segredo - se é que é possível conhecer-se um segredo - vou comprar amanhã o 2666, e principalmente porque livros com mais de mil páginas sempre me seduziram.

sábado, 26 de setembro de 2009

COINCIDÊNCIA?


O ortodoxo e ultraconservador Joseph Ratzinger fará tenções de visitar Portugal no próximo ano, aquando das celebrações do 13 de Maio. Joseph Ratzinger é o discípulo de Adolf, eleito representante dos auto-intitulados herdeiros da filosofia de Cristo - fosse Jesus filho de Deus, a história seria outra - como se a filosofia de Cristo fosse pertença de alguém ou de algum grupo - enfim, filosofia que ao longo de séculos tem sido capitalizada (e capitalizada é a palavra mais correcta) para defender - e pior, praticar! - as mais bárbaras das barbaridades - contra a própria filosofia.
O homem que é contra o uso do preservativo, que tudo fez para branquear as violações de crianças por parte de elementos dessa obscura congregação que se dá pelo nome de Igreja Católica, que se manifesta contra o estudo e utilização de técnicas científicas que poderão representar a fertilidade e felicidade de milhões de pessoas, que se manifesta contra as os políticos que legislam a descriminalização do aborto, o acesso ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, ou o divórcio. O homem que nos seus delírios religiosos está convencido que a Igreja Católica é a única que salva - essa que ao longo de séculos tem condenado com palavras, actos, e omissões - para citar o catecismo dessa mesma Igreja - tantos seres humanos à infelicidade, à tristeza, à morte. Esse homem tenciona visitar Portugal no próximo ano.
Parece que são quatro os países que tenciona visitar, e Portugal é um dos escolhidos - diz-se, na sequência do convite efectuado por Cavaco Silva em 2008 - ou do convite endereçado por José Sócrates em 2005. Tanto tempo para aceitar ou declinar um convite (ou dois)? Ou será porque a Esquerda se prepara para vencer as Eleições Legislativas... e no programa do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista está contemplado aquilo que sói chamar-se casamento homossexual?

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

BÚSSULA ELEITORAL

Fui ao site Bússula Eleitoral, ver se acertavam comigo. Eis os resultados, aqui a baixo:



Noutra análise:



Quanto a esta segunda imagem, tenho a dizer que não concordo! É impossível que eu concorde em 48,2% com o PNR, ou em 47,3% com o CDS-PP. Ou com o Manuel Monteiro e essa treta do PND. E em 54,5% com o PSD?!

PRÉMIO «INSIDES»



Nelson, parabéns pelo aniversário, e obrigado pelo troféu!

domingo, 20 de setembro de 2009

SOBRE A CAMPANHA ELEITORAL


Tenho lido por aí que entrámos numa fase da campanha eleitoral em que o discurso dos principais partidos se rege pela batuta dos fantasmas, só ainda não percebi com que fantasma é que se tenta assustar o eleitorado (sempre quis escrever esta palavra num post); é um fantasma do passado, do presente, ou do futuro? É um fantasma de cuecas rotas? É um fantasma interior ou exterior? Recordo-me que também a certa altura d' "As Aventuras de Tom Sawyer" aparecia na narrativa um fantasma... E que nem Arthur Conan Doyle se coibiu, nas aventuras do seu famoso detective, a mais racional das personagens literárias, Sherlock Holmes, de deixar no ar a suspeita de possíveis forças esotéricas a interferir nas humanas narrativas - não será por acaso que o homem acabou a escrever livros sobre espiritismo.
Enfim, fait-divers para desanuviar os leitores naqueles momentos em que a narrativa se começa a tornar monótona e há que prender os leitores... Ou deverei antes dizer eleitores?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

"EMBORA O INSTANTE DE UM MILAGRE SEJA COMO UM RELÂMPAGO SEM FIM"*



Não, não esqueças nunca
Que num único momento
A vida, a morte, o amor
Começa. Uma lembrança
Que fica para sempre.
Os amigos que ficaram,
Os que partiram, o amor
Que esperámos. A saudade,
Aquele dia que lembramos,
Ainda. Quando chega o sono
Adormecemos nos braços
Que ainda sentimos quando
Pensamos naquele instante.

*Verso de Dylan Thomas, do poema "O Casamento de uma Virgem"

**Foto de Filipe Ramos

terça-feira, 15 de setembro de 2009

MIGUEL VALE DE ALMEIDA - CONVENÇÃO NACIONAL PS




Visto no blog do meu amigo blogosférico ANDRÉ! aproveito a ocasião para mais uma vez reafirmar a minha vontade, e na pequena medida em que me é possível, empenho na vitória do Partido Socialista nas próximas eleições, Legislativas e Autárquicas. De facto os últimos tempos têm sido, a nível pessoal, de tumulto interior. O que me deixa fatigado e desgastado, perdoem a redundância, e conduz a que a minha pro-actividade, seja em que objecto for, seja pequena, para não dizer minúscula. Talvez se surpreendam amigos e conhecidos. Pela segunda vez desde que voto não apoiarei o Bloco de Esquerda - embora torça interiormente para que tenha um bom resultado. A primeira foi aquando das últimas Presidenciais, em que apoiei e votei em Manuel Alegre. Óbvio, demasiado óbvio, o móbil. É claro que o governo do Partido Socialista me desapontou em algumas questões, duas em especial: a não realização de referendo sobre o Tratado de Lisboa, e a não aprovação do Casamento Entre Pessoas do Mesmo Sexo. Afinal duas cobardias flagrantes de um Governo que defendeu com coragem as suas propostas ao ponto de por vezes parecer arrogante, ou chagar a sê-lo. Uma, cobardia externa: entendo que para o Governo levar a referendo o Tratado de Lisboa representava uma enorme afronta para com os restantes parceiros europeus, que se comportaram aliás, nesta questão, de modo muito pouco democrático. Apenas a Irlanda, e por impedimento da sua Constituição Nacional, não pela via parlamentar o texto do Tratado. A segunda cobardia, interna, quando na Europa vários são os que legislaram ou eliminaram barreiras que permitem hoje em dia o acesso ao Casamento Civil entre Pessoas do Mesmo Sexo, embora continuem a existir atitudes muito diversas, desde uma Polónia ultra-conservadora, a uma Holanda pioneira e liberal, ou a Espanha aqui tão perto, aqui tão longe. De facto, para a próxima legislatura esta questão continua disfarçada de intenção; a intenção da ampla discussão pública sobre o tema, o que não é líquido que signifique uma verdadeira vontade de legislar! Enfim, disse o comunista Pablo Neruda, no livro Confesso que Vivi, há momentos da vida em que temos que decidir de que lado estamos. Estou do lado daqueles que querem que seja um partido de Esquerda a figurar no primeiro lugar do pódio. E só um partido está em condições de alcançar esse lugar.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

NOVA FOTO NO PERFIL

Quem como o indivíduo que escreve estas monótonas linhas a que chamam frases embora não respeitem as mais elementares regras gramaticais não tem mais que fazer e vai arranjando subterfúgios para sobreviver ao tédio que quem como este tipo sofre de insónias tem que suportar publica posts sem jeito como este apenas para fazer alarido só porque trocou a imagem do perfil!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

rascunho encontrado num caderno abandonado #80


Garatujo a exortação que a seguir se perfilha, como forma de respingo ao seu contacto telefónico. Conjecturo que ela lhe permita uma maior e adequada compreensão do diálogo que entabulámos; é na base deste pressuposto que lhe remeto a missiva que sobrevem diante de si, meu caro.
Diversos são os tópicos que almejo tocar, se a lucidez mental mo permitir; mas esses tópicos são turvos; e parca e pardacenta é a minha clareza de espírito, num momento em que atravesso um período pessoal, social e académico conturbado. Conturbados são os tempos, a História; e aos solavancos avança a Humanidade, sempre a tropeçar, mas ainda assim com uma réstia de forças para se levantar. Eu sou uma parte mais fraca desse todo cósmico. A minha existência caminha de rastos o seu percurso, nesta estrada a que chamamos “vida”. Ainda assim, tentarei levar o mais distante e clara possível esta epístola. (...)
Deste modo, em primeiro lugar, quanto à questão “o que fomos?”, se amigos se algo mais menos se ao lado se verdade se ilusão se engano se fingimento se algo de belo ou aberrante... isso agora não tem mais importância. Vivo com os pés sob aquilo que hoje é presente: e o presente, aquilo que existe, é duas pessoas (eu e o senhor, por sinal) que se pensam ter conhecido que seguiram os seus caminhos (bem ou mal, isso agora para aqui não importa) que estão distantes (em corpo e espírito) e não mais se voltarão a ver olhos-nos-olhos (ao que tudo indica!) Da minha parte, Sr. M., sei bem o que fomos; soube-o ontem sei-o hoje sabê-lo-ei amanhã soube-o sempre: sei exactamente o que fomos, mas como já disse, isso não tem mais relevância! (...)

*As minhas desculpas a quem detém os direitos de autor da imagem, mas não sei de onde a tirei. Tenho o terrível hábito de amontoar imagens na pasta com o mesmo nome, gravadas sem qualquer critério...


rascunhos anteriores: #1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42, #43, #44, #45, #46, #47, #48, #49, #50, #51, #52, #53, #54, #55, #56, #57, #58, #59, #60, #61, #62, #63, #64, #65, #66, #67, #68, #69, #70, #71, #72#73, #74, #75, #76, #77, #78, #79,

terça-feira, 25 de agosto de 2009

TAMBÉM EU!

Imagem daqui.

rascunho encontrado num caderno abandonado #79*

– Amo-te – “A – mo – te”. Ouvia o eco límpido das três sílabas, distintas, desventrando a noite (e a vida) como relâmpagos. Tinha a certeza que sim. A memória não o enganava. Não aquela memória límpida e cristalina. Já passaram anos. Mas como poderá algum dia esquecer esta simples palavra, estas três sílabas lúcidas. Tinha a certeza que fora esta a palavra proferida anos antes. «Mas o que é dizer?» Pensava para si mesmo. Afinal, as palavras são ocas. As palavras não trazem consigo o objecto a que se referem. Qual a diferença entre uma palavra sedutora, que nos enche e ilumina, mas que não têm qualquer substância, e outra, que ainda que seja uma profunda expressão da alma, não provoca qualquer ressonância em nós? As palavras são meras pontes, janelas que se abrem sobre o horizonte, não trazem consigo os automóveis que as atravessam, nem os pores-do-sol dourados. Ouviria aquele eco antigo até ao último soluço de vida. Aquela palavra, sedutora entre as sedutoras, que como todas as outras, retiradas todas as contingências e idiossincrasias, não é nada mais que o som produzido pelas cordas vocais, e refinado entre a ponta da língua, o céu-da-boca e o ligeiro toque nos dentes – ou o traço, mais ou menos arredondado, da tinta sobre o papel.




rascunhos anteriores: #1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42, #43, #44, #45, #46, #47, #48, #49, #50, #51, #52, #53, #54, #55, #56, #57, #58, #59, #60, #61, #62, #63, #64, #65, #66, #67, #68, #69, #70, #71, #72#73, #74, #75, #76, #77, #78,


*Excerto de um proto-romance, provavelmente da autoria de Fabrízio Tommasini

sábado, 15 de agosto de 2009

SPORT LISBOA E BENFICA

Um dia Deus desceu à terra, e como não tinha mais que fazer, entretia-se a revelar o futuro àqueles que encontrava. Ouvindo falar de tal milagre, Pinto da Costa apressou-se a ir ter com Deus para lhe perguntar se o seu F. C. Porto voltaria a ser campeão. Deus pensou alguns segundos, os suficientes para deixar Pinto da Costa a suar, e depressa lhe deu a resposta: sim, o F. C. Porto voltará a ser campeão, e ainda no teu mandato. Quando esta novidade chegou aos ouvidos de Bettencourt, este foi logo ter com Deus. Depois de lhe procurar sobre a sorte futura do seu Sporting, Deus pensou durante alguns minutos, parecia que ia responder, mas pensou mais alguns minutos. Passara quase meia-hora quando Deus finalmente falou: sim!, o Sporting voltará a ser campeão, porém não será no teu mandato. Bettencourt apressou-se a esconder tal revelação, não fossem pedir a sua demissão.

Alguns dias depois Luis Filipe Vieira, que anda sempre atrasado, finalmente teve conhecimento da vinda de Deus à terra. Foi ter com ele e fez-lhe a pergunta: O Sport Lisboa e Benfica voltará a ser campeão?! Deus pensou, pensou, pensou... as horas passavam, passou um dia, uma semana, um mês, meio ano, estava a época a aproximar-se do fim... Até que Deus respondeu: Sim!, o Sport Lisboa e Benfica vai voltar a ser campeão! Luis Filipe Vieira ficou eufórico, saltava, berrava, gritava "SLB! SLB! SLB!"... Quando finalmente sossegou um pouco, Deus concluiu: Porém já não será no meu mandato!

sábado, 1 de agosto de 2009

rascunho encontrado num caderno abandonado #78*

Talvez passe a escrever os dias antes de eles terem acontecido. Em vez de relatar aqui aquilo que aconteceu, escreverei o que acontecerá. Em vez de serem os dias a fazer as entradas do meu diário, será o meu diário a fazer os dias. Porque não há-de ser assim? Qual dos dois é mais real? Se andam de mãos dadas, porque há-de ser sempre o mesmo a indicar o caminho? Vou começar hoje. Ou talvez amanhã, que hoje estou de folga, e inverter tudo de um dia para o outro é muito trabalhoso. Sim, estou determinado. Em vez de ser eu a escrever o meu diário, vai ser o meu diário a escrever-me a mim. Antes, talvez desista de tudo. Sim, estou cansado. O melhor será abandonar a realidade. Agora, quero esta outra realidade. E quero-a mais real. Isto que ainda não foi, é o que aconteceu, a realidade foi um sonho.


rascunhos anteriores: #1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42, #43, #44, #45, #46, #47, #48, #49, #50, #51, #52, #53, #54, #55, #56, #57, #58, #59, #60, #61, #62, #63, #64, #65, #66, #67, #68, #69, #70, #71, #72#73, #74, #75, #76, #77,

*Post escrito ao abrigo da erradicação do ponto de exclamação.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

ERRADICAÇÃO DO PONTO DE EXCLAMAÇÃO

agora como é que eu berro como é que dou com o cassetete aos poucos leitores que com a sua estóica paciência aturam a minha paranóia inevitável num tipo que não acredita em coincidências nem têm fé alguma em ser algum superior ou inferior no plano da inteligência ou na relação espacio-temporal relativa à sua pessoa começo a pensar que isto é uma manobra do Francisco José Viegas para que nós os Benfiquistas não celebremos com estrondo e apoteose as vitórias nos campeonatos de pré-época salvaguardando assim também que a hipotética que é certa para nós Benfiquistas vitória no campeonato maior  será morninha ou pelo menos silenciosa como é que eu lhes rebento com os tímpanos aos portistas e sportinguistas e aos leitores deste pasquim visto de outra forma aqui afirmo que erradicar por erradicar erradiquem também os pontos de interrogação que é duma impertinência e petulância irritante virem com perguntas com dúvidas com retórica será possível que cogitem por um segundo que por aqui ou num qualquer lugar haja respostas se houvesse respostas o ponto de exclamação seria o único sinal de pontuação usado arrumávamos todos os outros e as botas e íamos fumar um cigarro ou olhar o horizonte absorto porque tudo isto perderia o sentido último que é não haver sentido nenhum munidos dos nossos afirmativos e esclarecidos pontos de exclamação e para agradar a gregos troianos espanhóis e suíços abolimos também a utilização de qualquer pontuação e até a letra maiúscula no início das frases e dos advérbios de modo terminados em mente e cogitámos abolir os artigos definidos e indefinidos embora fiquemos tentados a terminar com umas singelas e redondinhas reticências

para mais informações e até para aderir a esta iniciativa consulte o Senhor Palomar o Bibliotecário de Babel o irmaolucia para além do já citado A Origem das Espécies

quinta-feira, 23 de julho de 2009

TEMPESTADE

Noites tempestuosas como as de hoje trazem-me à memória Eça de Queiroz e Os Maias; levanto-me e ando às voltas, pela casa, pelo quarto; deito-me e fico às voltas, na cama, no pensamento. Prenúncio de que fatalidade, de que tragédia? Depois volto a mim, e recordo-me que, felizmente, a minha tragédia já aconteceu. Por momentos o pesadelo transforma-se em sonho; porque o sonho é o meu pesadelo. Não há-de ser nada, seja o que for; é assim que é, quando já nada nos importa. E, depois de um dia nenhuma outra coisa virá que não outro dia. Para quê inventar futuros, para quê sonhar passados, se tudo o que existe é presente? O som do vento, a sua fúria agrilhoada, o seu grito contido, o punho cerrado que a custo sustém o seu sopro, a iminência de se soltar, tudo isto pesa na face da noite, como uma longínqua angústia...

 

Será? Pesadelo: A «experiência traumática» é a melhor matéria-prima para dormir bem uma grande quantidade de noites. Os pesadelos causam angústia mas desaparecem depressa. Os sonhos podem durar a vida toda e estar mascarados de convicção moral e, por isso, só acordamos por casualidade. Os pesadelos funcionam de um modo bastante mais humano: acordamos quando a imagem se torna insuportável.

Imagem vista aqui. Gravura de Clébio Maduro

terça-feira, 21 de julho de 2009

O Rh+*


*Pertenço a um grupo sanguíneo vulgar, como podem constatar nesta imagem, a confiar no artigo da wikipédia. Não faço questão de dar sangue a ninguém; e, não sendo Testemunha de Jeová, nem de coisa nenhuma - de facto nunca testemunhei nada digno de referência - peço, no entanto, encarecidamente que não me espetem agulhas no braço, nem em nenhuma outra parte do corpo, para enfiar sangue de Outros. Se tiver um acidente, e me encontrarem num estado miserável de sofrimento, peço a V. almas caridosas que - tendo em conta a compaixão que o testemunho do sofrimento alheio por vezes gera - mesmo nas almas mais empedernidas - me enfiem um balázio nas fontes, me façam engolir cianeto ou estricnina, ou me degolem - no caso de gostarem de ver sangue! Posso, claro está!, ter a sorte de nesse momento encontrar um espécime, desta coisa a que chamam Homem, sádico! Caso em que terei o prazer de lentamente fenecer, como a folha castanha e grave de uma árvore, que lentamente vai amarelecendo, se desprega, e tomba mansamente no chão. Seja qual for o caso, se morto sentisse, sentir-me-ia aliviado, por me ter livrado de tanta ignorância e estupidez!


Post-Scriptum: são quase, quase 4 da madrugada, e eu não consigo dormir! Raios partam, quebrem, e verguem quem me levou o sono! Daqui a pouco tenho que me partir para o trabalho, esse local onde escravizam um gajo em troca de no fim do mês ter dinheiro para no mês seguinte pagar o que ficou a dever no mês anterior!

sábado, 18 de julho de 2009

TRÊS GATOS À PROCURA DE NOME

A mãe destes três pequenos, coitada, é analfabeta, gagueja, nunca foi a uma escola, nem se conhece nenhuma ida ao registo civil; não se sabe se por mudez, se por timidez, mas o certo é que a mãe destes três pequenos não consegue dizer mais que dois ou três miados - muito fininho e mansinho - o miado da mãe destes três pequenos. Ela é fofinha, porém - embora o mundo seja dos fofos - estes três gatinhos são mais fofinhos ainda! Como se isso fosse possível! Parece dizer-me o miauuuu prolongado que ela faz junto às minhas pernas, quando quer que lhe a pegue pela barriga, a sente no meu colo, e lhe faça miminhos. Bom!, o que é certo é que os pequenos, daqui a pouco estão em idade escolar e - coitados! - ainda não têm nome! Aceitam-se sugestões!

ODEIAS QUEM NÃO PODES AMAR



Na vida existem três tipos de amigos: aqueles que te amam; aqueles que não se preocupam contigo; e aqueles que te odeiam. 


Sébastien-Roch Nicolas de Chamfort. Podem saber mais sobre este autor aqui, aqui, aqui, e aqui. Podem também procurar na internet, recorrendo a motores de busca, por exemplo. Se residem num país culturalmente desenvolvido, uma biblioteca é o melhor lugar para saber mais sobre o autor. Também gosto muito desta máxima dele: A sociedade é composta por duas grandes classes: aquela que tem mais jantares que apetite; e aquela que tem mais apetite que jantares. Há outras traduções da citação acima, cujo original é este: Dans le monde , disoit M , vous avez trois sortes d'amis : vos amis qui vous aiment; vos amis qui ne se soucient pas de vous , et vos amis qui vous haissent. A tradução acima fi-la eu mesmo porque não gostava daquelas que encontrei por aí!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

VÃO LÁ, VÃO LÁ...

Os poemas do poeta guardense já estão expostos no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda; vão lá tomar um café - ou um chá - agora até há uma carta de vinhos! - e aproveitem para dar uma espreitadela! O conjunto intitula-se O Despertar dos Sonhos - embora o despertar do pesadelo não fosse menos adequado!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

PRÉMIO «FELIZES JUNTOS»



O Paulo e o Zé contemplaram-me com o prémio blogosférico cuja imagem podem ver acima, com estas palavras: »» muita coisa, muito ecletismo, muita criação e muita generosidade e um humor que desarma de tão negro. »» Obrigado! Para eles e para todos que aqui passam, digitalizei a imagem abaixo, da página 22, do livro ideias negras, de Franquim, editado em Portugal pela Witloof. Façam o obséquio de clicar na imagem, antes de começarem a reclamar que não se consegue ver nada! Cambada de preguiçosos!

GRIPE, HÁ?

Desde Domingo que fui contaminado com o vírus da gripe! Não sei como é que o gajo conseguiu chegar até mim, mas o que é certo é que a madrugada passada pensei que ia morrer! Um gajo doente é sempre o mesmo queixume! Vai logo morrer! Nos meus delírios febris só conseguia pensar que me iam levar para uma casa mortuária, rezarem-me aquelas ladainhas insuportáveis, transportar-me até à igreja, e enterrarem-me no cemitério! Como odiei toda a gente! Estão a ouvir!? Odiei-vos do mais profundo do meu ser! Morrer não me preocupa! Nem quero que chorem por mim! (Que lágrimas mais inúteis! Se chorassem pelas minhas derrotas e vitórias em vida! Agora chorar por um morto! Ah!, Não é pelo morto, e por vós que choráveis! Por verdes no morto a vossa própria morte!) Só peço que me queimem e atirem as minhas cinzas ao Lac Léman ou ao Lac de Neuchâtel! Sou Ateu, porra!

sábado, 11 de julho de 2009

DENUNCIAR O VANDALISMO

O TMG foi alvo de um acto de vandalismo quando, em Março último, duas placas de vidro que revestem o Café Concerto foram destruídas. Uma tarja cobre agora o edifício (clique na imagem para ler). O tema do “vandalismo” é o ponto de partida para o debate de ideias com Aires Almeida (arquitecto), Nelson Oliveira (sociólogo e professor de sociologia) e João Valente (psicólogo) que no próximo dia 14 de Julho vão estar no Café Concerto para debater este fenómeno de violência. "Vandalismo: causas, efeitos e manifestações" é o título desta tertúlia marcada para as 21h30. (mais informações aqui e aqui)

sexta-feira, 10 de julho de 2009

O DESPERTAR DOS SONHOS

Conforme anunciado aqui, estará - entre os dias 16 e 31 de Julho, no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda - no projecto Table of Contents - vários textos da autoria deste escribã maníaco-depressivo, com laivos de suicída, agrupados sob o título O Despertar dos Sonhos. Posso adiantar que são 23 poemas + 3 textos! A quem tiver a curiosidade - e puder - de passar para dar uma vista de olhos - e quem sabe, ler um ou dois textos - aviso já: não dou explicações! Como dizia o Faulkner: "Um escritor é alguém congenitamente incapaz de dizer a verdade. Por isso, o que ele escreve chama-se ficção." E mesmo que seja literalmente verdade, continua a ser ficção! O.K.?


IMAGEM: uma das fotos de Jorge Pena - até 15 de Julho no Teatro Municipal da Guarda.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

TWO BODIES - PERFORMANCE*


*Dia 24 de Julho (de 2009, pois claro!), pelas 22h00m, na sede do Aquilo Teatro [para quem não sabe, Largo do Torreão - perto do novo Centro Comercial Vivaci - que é como quem diz, ao lado...] Performance da autoria de Bruno Brazete, por Bruno Brazete (com Paulo Bastos). Se puderem não faltem; se não puderem, façam tudo para poder! Eu não posso... C'est la vie!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

DON'T ASK ME WHY - EURYTHMICS*




Miracle of miracles
Look what the night dragged in -
It's a pocket full of misery
And trouble on the wind
You spoiled the best years
Of your life
You took them all in vain
Now you think that
you're forgiven
But you can't be born again

And you say
Why?
You say why?
You say why?
Don't ask me why -

I don't love you anymore
I don't think I ever did
And if you ever had
Any kind of love for me
You kept it all so well hid...

Promises sweet promises
You kept them from your mind
Like all the lost
forgotten things
You never seemed to find
Like all the disappointments
You displayed upon your shelf
Now you've got no-one to turn to
You've got no-one but yourself

And you say
Why?...


*Quando ouço esta música, é como se a Annie Lennox estivesse a apontar-me o dedo...

terça-feira, 7 de julho de 2009

MULTA

O dia 06 de Julho de 2009 ficará na minha memória como o dia em que apanhei a primeira multa - depois de 9 anos de carta. Fica também na minha memória como o dia em que vi dois polícias discutir se haviam de aplicar ou não a dita* - triste país este em que dois policías discutem se devem ou não aplicar a lei! - apanhado em flagrante delito - telemóvel na orelha - o que queriam, rapazes? Infelizmente, neste País a Lei é só para alguns, e de acordo com a disposição de quem tem por obrigação fazê-la cumprir! Sou um Ser Livre, e como Ser Livre que sou, sou Responsável, conheço os meus Direitos e Deveres, conheço as Consequências dos meus Actos! Livremente, marimbei-me para a Lei, como - neste caso específico - passo a vida a marimbar-me! Gostaria de ter sido multado Livremente! Mas assisti a uma cena que - além de me fazer perder tempo - me deixou mal duplamente indisposto! Não bastava já a indisposição dos Euros que vão para os cofres deste País da treta, ainda ter que assistir a cenas terceiro-mundistas...


*De referir que, em momento algum, tentei esquivar-me à mesma...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

9 OU 10?


A vida parece a coisa mais simples do mundo, quando apenas tem que se decidir entre 9 ou 10... Estranho mundo, onde um indivíduo ganha milhões de euros porque sabe fazer uns quantos passos de dança com uma bola entre os pés, e milhões de indivíduos morrem à fome, muitos sem que nunca tenham oportunidade de tocar numa bola... É a economia, estúpido! Afinal ainda vai acabar por ficar a custo zero! Pouco, para quem dizem valer tanto...

BMA*

Cada dia é mais evidente que partimos,
Sem nenhum possível regresso ao que fomos,
Cada dia as horas se despem mais do alimento:
Não há saudade nem terror que baste.

Sophia de Mello Breyner Andresen, in Coral.


*Private message

domingo, 5 de julho de 2009

MP4 - À FALTA DE MELHOR TÍTULO

Comprei um aparelho igualzinho ao da fotografia aqui ao lado; até parece que vieram fotografar o meu! Estou a transformar-me num gadget-addicted; até sinto tremuras na ponta dos dedos quando entro nas wortens e afins! Entretanto, dei cabo do meu telemóvel, mas comprei outro igualzinho, só por causa das coisas - porque convém que um telemóvel seja apenas isso - um telemóvel; senão, que justificação teria para mim mesmo, para comprar mp4's, máquinas fotográficas, y etc...? Não dei o meu número novo a ninguém - já pedi uma segunda via do número antigo; embora esteja a pensar para mim mesmo que devia trocar definitivamente para o novo! Menti: novo número esse que apenas dei a uma pessoa - pessoa essa aliás que - sem culpa nenhuma, convenhamos - foi quem me levou a atirar com o telemóvel contra o chão, a desejar nunca ter nascido, a querer matar quatro ou cinco pessoas, e outras coisas igualmente suicídas, que não me acontecem apenas quando estou ébrio a tender para o coma, mas que acontecem com mais frequência nesses momentos! Quem será a pessoa, preguntar-se-ão os (quantos?) leitores deste cada vez mais decadente blog? Quem será que vocês pensam que é, interrogo-me eu! Bem, seja qual for a hipótese em que estão a pensar, tenho apenas a dizer-vos: Não, não é essa pessoa... É a mãe dessa pessoa!


Post-Scriptum: Para amigos (não sei o que isso seja - já disse aqui que «amigo» é a palavra mais cara do meu dicionário intímo?) e afins que me queiram contactar, têm o meu e-mail! O meu número novo? Não dou, não dou, não dou!