quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

COUNTDOWN

Sem tempo para mais que isto: Espero que tenham tod@s um ano de 2009 melhor que o de 2008; aviso-vos, porém, para que não tenhéis muita Esperança: porque a Esperança não passa de uma maneira que o Homem inventou para encher a Alma com o Vazio. Quando a Esperança se realiza, i.e., quando o Vazio, circunstancialmente, encontra Matéria na Realidade, a Alma enche-se de Plenitude... Quando não encontra, continua a encher-se de Vazio, como um Buraco Negro que se alimenta a si mesmo, sugando a Realidade em volta, e transformando-a em Vácuo, no momento em que a Alma não pode encher-se mais, de tão farta, que rebenta... Abraços e Beijinhos, e uma bebida à escolha!

domingo, 28 de dezembro de 2008

PAPARVOÍCES

Como talvez saibam, talvez não - para citar o comentário de John Fritz Von Gato, deixado no post Liberdade e Preconceito, do Desidério Murcho: Os senhores estão a discutir as declarações sobre a homossexualidade de um senhor que veste saias, anda com os dedos cheios de cachuchos, e que não se deita com mulheres. A minha sincera e respeitosa admiração para com todos aqueles que mantêm tão elevada polémica sem se rirem. - tudo o que esse senhor diz me provoca sérias cólicas de riso. 

O problema é que declarações (ou lá o que lhe queiram chamar) desse senhor afectam diariamente a vida de milhões de pessoas: e essas não se riem.

Post-Scriptum: Olhem lá, e que tal um chocolate quente?

"A" LISTA

Estive para aqui às voltas, de tal modo que tive que afastar os móveis da paredes. Repensei e pensei, e depois de muito cogitar, continuei às voltas, de tal modo que tive que sair de casa, não fosse o soalho gastar-se. Antes o chão. Peguei num bloco de notas, daqueles da âmbar, que diz bloco de turista - um tipo têm que imaginar que anda a passear, mesmo sem sair do mesmo sítio, senão a melancolia dá-nos um valente murro no estômago. Para isso bem basta a realidade. Há listas para tudo, porém eu já me contentava em conseguir fazer uma com os melhores livros, álbuns, e blogs. E políticos, mas neste caso com os menos maus. A dos políticos acabei-a eu depressa. Não encontrei nenhum que fosse menos mau. A dos livros, já sabem que para um bibliómano são todos bons, desde que tenham folhas e letras impressas, e às vezes nem tanto. Capitulei. Vamos antes às dos blogs. Contudo, eu já nem tenho espaço para «seguir» mais, que os gajos da Google só nos deixam seguir 200. E sendo eles aos milhões, literalmente mais que as mães, os pais, e os filhos todos juntos, é impossível um indivíduo só e as suas voltas, chegaram a alguma conclusão. Álbuns, ou CD's se preferirem, não me recordo da última vez que comprei algum que não tivesse já sido lançado há mais de quinze anos. Exceptuando os álbuns dos meus amigos, claro!, mas eu recuso-me a fazer críticas ou a atribuir um valor a uma coisa feita por um amigo meu, porque creio sempre que a melhor coisa que eles fizerem na vida foi serem meus amigos, portanto, tudo o resto é de qualidade inferior à amizade.
Enfim, depois de muitas voltas e reviravoltas, deixo-vos apenas um nome: Manuela Ferreira Leite. Para passarmos o ano a rir, para que mais havia de ser!?

Desejo-vos um bom 2009 e que a Manuela continue no PSD por muitos e longos anos!

Post-Scriptum: Fiquem a saber que, no entanto, só não apresento as ditas listas porque não fui capaz de decidir se havia de fazer listas de 10, de 20, de 50, ou de 100!

Post-Scriptum 2 (porque nunca há dois sem um): Na passagem de ano estarei algures em Lisboa, num qualquer restaurante, primeiro, e sabe-se lá onde, depois, no Bairro Alto. Era só para avisar, se quiserem apareçam.

sábado, 27 de dezembro de 2008

OS CADERNOS SECRETOS DE SÉBASTIAN

Já podem encontrar / comprar / encomendar / espreitar o meu livro / romance na WOOK e com 5% de desconto! Logo agora que o Natal já passou... Pronto, fica para o ano que vem! Para espreitarem cliquem na imagem, no título, no logotipo, ou no link!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Consegui responder a todos os comentários que me têm deixado, e que por falta de tempo (procrastinação?) tenho deixado sem resposta. Como ao pai natal ali do lado, também o natal me deixa assim: albaroado...
Deixo aqui este post para desejar um feliz natal a todos os que aqui vêm parar por vontade própria - ainda que enganados - a todos que aqui vêm parar caídos não se sabe de onde; a todos os meus seguidores (isto ainda não é um religião! - quantos seguidores são precisos para isso?) A todos os que - conhecendo ou não pessoalmente - são já amigos, fruto de este triste e desbotado blog. A todos. 

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

AVATAR DE NATAL


A ThunderLady teve a ideia. Agora é só vê-los a segui-la. Eu cá vos espero, armado até à ponta dos cabelos!

Se quiserem aderir a esta iniciativa/ideia, podem ir ao site SP-Studio.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

MAROTICE

Ramalho Eanes afirmou que se não fosse a crise, Cavaco Silva devia considerar dissolver a Assembleia da República. (notícia no Jornal de Negócios)

Uma afirmação aparentemente inocente, mas que revela muito sobre a forma de pensar e estar dos políticos Portugueses; é que, se não fosse a crise, Cavaco Silva podia brincar aos políticos; usar o poder a seu bel-prazer. Mas como essa senhora inoportuna conhecida pelo nome de Crise, nos entrou pela porta a dentro, e não há maneira de a fazer sair, então Cavaco Silva tem que ter juízo e comportar-se como um menino de bem, que isso de dissolver a Assembleia da República é uma grande marotice, que não se pode fazer assim sem mais nem menos, por dá cá aquela palha, ou a outra, ou aquelotra. Mas se a mãezinha não estivesse a ver...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

BACOQUISMO

ouvi num canal, não importa qual, uma personalidade - uma personagem saída de um péssimo romance, ou novela. novelo. dum daqueles novelos de interesses, que mistura política, economia, e grandes fortunas. não lhe conheço as simpatias futebolísticas. ia dizendo. ouvi um tipo qualquer, que como disse, não é um qualquer, dizer qualquer coisa do tipo, ah e agora vive-se muito bem, e tal, e não sei porque é que as pessoas se queixam tanto, e antes, no tempo dos meus pais os trabalhadores - pois, os trabalhadores, há sempre os trabalhadores para que estes meninos-bem possam discorrer, e fazer correr, o seu pensamento "filosófico", só mesmo entre aspas é que se poderá adjectivar tal pensamento assim. onde ia? no tempo dos pais do gajo, os trabalhadores, que trabalhavam (para que outras coisas servem os trabalhadores senão para trabalhar) lá na quinta, ou lá como é que o indivíduo chamou ao terreno, uma daquelas palavras bonitinhas que a fina-flor tanto adora, pronunciada com tiques pretensiosos - para não usar outro adjectivo, daqueles de lesa-majestade -, pois, os trabalhadores tinham como refeição um único prato de feijão, ou carrapatos, com um pedaço de carne, e já eram trabalhadores privilegiados, sim que o pai do estafermo era uma pessoa conscienciosa e muito à frente do seu tempo.
e como vivemos tão melhor. agora as pessoas só se sabem queixar e tal, mas há trinta anos, para não falar há cinquenta, e então se for há cem, que diferença!

e mais não digo, porque há certos e determinados. antes fossem terminados e acabados. certos e determinados trogloditas*, que persistem em regurgitar estes discursos da tanga. por falar em regurgitar, só pensar nisto dá-me a volta ao estômago. fico por aqui, mais não digo.

*trogloditas, sim, que estes seres ainda haviam de viver nas cavernas, que lá é que eles estavam bem. porque nessa altura não se queixavam, esses cabrões que só sabem berrar como bezerros mal alimentados. é que mamas há muitas, mas só para os bezerros maiores.

E VOCÊ, JÁ ATIROU O SEU SAPATO HOJE?


Para tentar acertar no Bush, vá ao site: http://bushbash.flashgressive.de/

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

DEFINIÇÃO DE AVÓ*

Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem 'Despacha-te!'. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam historias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver Televisão


*Redacção supostamente escrita por uma menina de 8 anos, de Cartaxo.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

DEZEMBRO

Antes de começar a divagar, convido-vos a ler este post do Victor Afonso: Mais uma Onda de Proibições. E o que é que isso tem a ver com o que vou dizer a seguir? Ora, nada, rigorosamente nada. Ou tudo, absolutamente tudo. O bentinho, aqui ao lado, tão lindinho, com esta carinha de pequeno demónio faz-me lembrar um pai natal com a sua indumentária encarnada. Um daqueles pais natais vingativos que vêm cobrar às crianças a menor das faltas. Somítico! Tudo são desculpas para não dar uma prenda!
Ia falar sobre Dezembro. O décimo mês do ano. Perdão, o décimo segundo...! Dezembro é o mês do ano que mais me deprime. Os dias são frios e chuvosos, mistura que me irrita. Se fossem nevosos e frios, menos mal... Os dias têm poucas horas de sol. Há uma atmosfera de férias e descontração a pairar. As prendas, as hipócritas mensagens de felicidades e desejos de tudo e mais alguma coisa. Anualmente chegam os sms's, os e-mails, os postais de fulano e cicrano de quem já não temos notícias há... UM ano! Não há coisa que mais me irrite que receber mensagem de Feliz Natal e Próspero Ano Novo de alguém de quem não tenho nenhuma notícia há... Um ano! Eventualmente, também mandaram a porcaria do sms ou do e-mail, ou do postal (pronto, no caso do postal sou mais brando... se vier com selo estão perdoados!) no dia de Aniversário! E parece que somos todos amigos, e que nos queremos muito bem, e que não podemos viver sem a Felicidade do Outro! Uma Merda!
Fecho-me em casa, a ouvir músicas de Natal para ficar ainda mais deprimido, pois claro, que mais se pode fazer?! Estupidez? É como quem ateia um fogo para apagar outro!
Dezembro faz-me lembrar... Não! Não é Dezembro, é a merda da hipocrisia e das mensagens! São essas músicas irritantes, tocadas até à exaustão (mas será que a porcaria do disco rígido, ou do CD, ou da Pen, ou seja lá onde for que estão gravadas, não se risca?)! É esse clima de confraternização e perdão! É o sino da aldeia e a já tradicional farra do 24 para o 25, a comer carne entremeada e a jogar lerpa (leiam em silêncio, não vá a Inspecção que inspecciona os jogos ilegais ouvir, ou pior a ASAE, que as condições de higiene não são certamente cumpridas)! É a bruxuleante fogueira! A noite fria que promete neve, mas nunca cumpre! Tudo isso me faz lembrar as pessoas irremediavelmente perdidas que passaram, que ficaram, que algures talvez pensem e sintam o mesmo. Tudo isto me faz lembrar as prendas que esperei e nunca chegaram (sim, tenho dinheiro na algibeira para as comprar, mas de que me vale, agora já não servem para nada; para tudo há um momento certo)! Pior que as prendas, tudo isto me faz lembrar das pessoas que esperei e não vieram. Às vezes chegavam postais (ainda não havia esta treta dos sms: toma lá 160 caracteres!), mas sempre me pareceram tão falsos, que em vez de sentir as pessoas mais próximas, sintia que mais se afastavam. 
Dezembro é também o mês em que, neste nosso relógio interior regulado por falsos marcos, tomamos consciência de tudo aquilo que continua por concretizar; o melhor é não pensar nos planos que ficaram por fazer... O melhor é nem sequer fazer planos. 
Dezembro é um mês muito triste para os pessimistas e depressivos! Só mesmo o bentinho e as suas asneiras para me fazer rir! Bem, metade já passou...

Post-Scriptum: como não me apetecia fazer outro post, deixo aqui uma adenda: descobri este magnífico blog: Badamalos. Pronto, não é um blog magnífico, é um blog como outro qualquer, Badamalos é que é uma aldeia magnífica! Pronto, não é uma aldeia magnífica, é uma aldeia como outra qualquer! Porém, Badamalos é uma das aldeias dos meus antepassados, por isso é uma aldeia magnífica, e um blog sobre esta aldeia é magnífico para mim! (As outras aldeias dos meus antepassados, para que conste, são: Pai Penela, Sorval, Valbom, e Santa Eufêmia)

Teste: VerveEarth.com

sábado, 13 de dezembro de 2008

I LOVE YOU 1000 TIMES

Remember love notes, the teacher found in school
The whole class laughing, gee I felt just like a fool

But that’s not the very part about I
I had to write 1 thousand times

That I love you, I love you
I love you, I love you
Girl, I love you 1 thousand times

The love notes I treasured, loving you was not a sin
Punishment was pleasure, whoo I’d do it all over again

I wrote, and I wrote, till my fingers got sore,
But I had to write just a little bit more

Did you read my letters, it’s been on my mind?
All that it said was girl I love you one thousand times

From them untile this very same day,
I still feel that same old way.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

OS 10 MAIS PROCURADOS

O Google revelou a lista das 10 palavras mais procuradas no decorrer do ano que finda; e as felizes contempladas são, por ordem decrescente:
  1. sarah palin
  2. beijing 2008
  3. facebook login
  4. tuenti
  5. heath ledger
  6. obama
  7. nasza klasa
  8. wer kennt wen
  9. euro 2008
  10. jonas brothers
Para além desta lista mundial existe uma lista por países; não existe uma lista das mais procuradas em Portugal; somos pequenos, é o que é; todavia há uma lista que muita curiosidade me suscita:

  1. 陈冠希
  2. 奥运会开幕式
  3. 四川地震
  4. 不合格奶粉名单
  5. 艳照门
  6. 画皮
  7. 赤裸特工f.b.i
  8. 国足欢迎你
  9. 刘翔退赛
  10. 神七

Digam lá se não é fascinante!

PUBLICIDADE INSTITUCIONAL

Cliquem na Imagem se quiserem saber mais! Divirtam-se!

SOBRE O AMOR

Ao perder-te a ti perdemos os dois:
eu porque tu eras o que eu mais amava 
e tu porque eu era quem mais te amava. 
Mas de nós dois és tu quem mais perde, 
porque eu poderei amar outras como te amava a ti 
mas a ti não hão-de amar como eu te amava.

Nas minhas vagabundas deambulações pela internet encontrei as palavras acima transcritas, de Ernesto Cardenal (sou muito céptico em relação à atribuição dos textos aos seus autores, na internet; se alguém tiver informação fidedigna, não hesite em partilhá-la). As razões de publicar aqui este pequeno texto (poema?, epigrama?) são duas: primeiro, porque sendo o amor impossível de mensurar, impossível é dizer a outra pessoa que somos a pessoa que mais a ama (o contrário, embora sendo subjectivo, é possível); segundo, fossem as palavras acima sinceras, não diria com sinceridade que poderia voltar a amar outra...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

É A VIDA!

As novas definições do Gmail permitem que escolhamos um tema, e em alguns desses temas permite que escolhamos a nossa localização, de modo a que o ambiente referido vá mudando de acordo com a localização escolhida. Bonito não é? Olhem lá para a imagem! Está a nevar! Mas não tenham ciúmes... Não escolhi o lugar onde estou, mas aquele onde queria estar...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

FIVE LITTLE PIGS

Durante anos houve um mistério que me intrigou. Começo pelo princípio. No rodapé do livro de Filosofia do 11.º ano - os anos passam tão depressa que somam agora mais de uma década - havia excertos de um romance de Agatha Christie, contudo em todo o livro - facto lamentável - não existia uma única referência ao romance de onde os excertos haviam sido retirados. Serviam para exemplificar raciocínios, silogismos, etc.


Visto que a memória é algo que se desvanesce e torna difuso, após este tempo todo apenas um facto ainda recordava: existia uma rapariga que recorria aos serviços de Hercule Poirot para que este descobrisse (confirmando ou não) a verdade sobre a morte do seu pai, envenenado pela sua mãe.


Assim, durante anos, fui lendo romances de Agatha Christie, um pouco ao acaso, conforme me chegavam às mãos (a maioria comprados, outros emprestados, e muito poucos os requisitados em bibliotecas, que eu detesto bibliotecas, mas isso é outra história), sempre com a esperança de encontrar aquele


Este post, se alguém ainda se estiver a perguntar qual o seu móbil, serve apenas para dizer que finalmente o encontrei (ao referido romance, elementar, meus caros, numa linguagem conan-doyleana): intitula-se Five Little Pigs (o original em Inglês). Os Cinco Porquinhos, em Português do Brasil (não eram só três?!), e Os Cinco Suspeitos, na tradução de Isabel Alves para a Obra completa da autora, que está a ser publicada em Portugal pela Asa.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

EMPRÉSTIMO

Mnemósine, pior, pior, é quando ficam com o nosso coração...! Olha, aqui fica uma quadra ao gosto popular, pedida emprestada ao Fernando Pessoa:

Entreguei-te o meu coração,
E que tratos tu lhe deste!
É talvez por 'star estragado
Que ainda não mo devolveste...

LISTA DE DESEJOS #2

Pronto! Vou deixar a vergonha de parte! Aceito uma destas! Nem preciso que venha com os livros, que eu tenho muitos sem lugar, e chegavam para ocupar este belo objecto... (visto aqui)

domingo, 7 de dezembro de 2008

LISTA DE DESEJOS

Pelos blogs, multiplicam-se as listas de desejos para o Natal; também eu tenho uma lista (enorme) de desejos; mas sempre fui muito parco a pedir; melhor, sempre fui muito envergonhado, mesmo neste semi-anonimato da blogosfera. Assim, quedo-me por dizer que sim, também tenho a minha lista.


Proliferam também, como cogumelos, as listas dos melhores livros, dos melhores álbuns, dos melhores filmes, dos melhores blogs, dos melhores posts, e de tudo isto, dos piores. E outras listas, de coisas inacreditávis, tal é a humana imaginação fértil. Esta é, pois, uma lista de listas, incompleta. Um destes Natais hei-de compilar uma lista exaustiva e listas.


E pronto, assim fiz também um post sobre listas, daqueles posts que para nada servem senão para encher; enfim, como todos os outros...


Um Feliz Natal e Boas Festas a quem por aqui passa!

private message: vá lá, são apenas 1757 km's...!

Queen - Keep Passing The Open Windows (Extended Version)






Vim aqui ao blog para colocar a música dos Queen alusiva à época que atravessamos, Thank God It's Christmas; entretanto lembrei-me que desta Keep Passing The Open Windows, é um poucochinho mais cruel... Claro que poderia partilhar convosco Is This The World We Created...? Se tiverem os álbuns, ou a pachorra para procurar as letras na internet, constatarão, com certeza, que todas elas são adequadas a este momento de... olhem (para onde quiserem) falta-me a palavra... senão, reparem na última estrofe da letra de Is This The World We Created...?

Is this the world we created, we made it on our own
Is this the world we devastated, right to the bone
If there´s a God in the sky looking down
What can he think of what we've done
To the world that He created.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

NO COMMENTS #PERDI-LHE A CONTA

Isto (que vi aqui, aqui e aqui, por esta ordem) - por triste que seja, em pleno século XXI - é de morrer a rir! Ai Benfica, Benfica, se tu soubesses...

Parece que originalmente, a imagem veio daqui; pelos vistos foi tirada no Pavilhão Rainha D. Leonor, nas Caldas da Rainha.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

MEMÓRIA FUTURA; MEMÓRIA PASSADA

Cada dia que passa, a minha vontade de partir é maior, mas cada vez mais me resigno à ideia que talvez nunca venha a partir. Para partir, talvez precise de ensandecer, ou talvez precise somente de companhia. Não sei... Mas:

Um dia vou partir pelo mundo fora de mochila nas costas, dizendo adeus até nunca mais a tudo quanto se cruzar comigo... vou despir-me desta corda asfixiante de esperanças e expectativas, de sonhos e objectivos, de desejos e pretensões, que me tolhe a vontade, e partir... vou partir, só, e sem direcção, rumo ao pôr do sol como Lucky Luke; abandonar os meus livros como Dom Quixote, o fidalgo cavaleiro de La Mancha; vou desapertar a gravata das contas, das prestações, dos cumprimentos, rasgar as camisas dos papéis que tenho aceitado desse encenador cínico chamado Vida, homem com nome de mulher, como nas personagens de Vian. Vou queimar esta roupa encharcada de hipocrisia e partir. E a cada passo direi olá adeus até nunca mais alegre ou triste não sei pessoa que te cruzas comigo. E conversarei também com os objectos, os prédios e os carros, prisões que inventámos e a que chamámos Liberdade, e caminharei na companhia das árvores e dos pássaros, sob a sombra das nuvens, as maravilhosas nuvens que passam... E a cada passo ir-me-ei despindo para que a Morte me encontre nu e eu me possa entregar por completo.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

POSTS DEPRESSIVOS - A ANGÚSTIA

Alguns leitores deste tasco desbotado pedem-me que escreva/ publique mais posts do género dos da série rascunho encontrado num caderno abandonado, como este último, ou este. Ou outro qualquer. E querem saber quem é o rapaz que aparece nas fotografias, se está vivo ou morto. E dizem que ficaram tocados, ou impressionados, ou de uma maneira que não conseguem definir. E querem saber mais, e mais. Porque a curiosidade é ilimitada. Porque o voyeurismo também. Todavia, sou eu o culpado, que não tenho nada que estar para aqui a expor as minhas angústias. Lamento a vossa curiosidade. Eu próprio sei muito bem o que é isso de querer saber mais, só mais um pouco. Mas, acreditem, não vale a pena, a angústia e a depressão são mecanismos circulares; emoções que se alimentam a si mesmas, até nos esgotarem a nós. O melhor é não as alimentar. Ou seremos sugados pelo vazio que escavam na alma. Continuemos antes assim, meros desconhecidos que se cruzam e cumprimentam, com um sorriso, um levantar de chapéu, ou um aceno. Falemos do clima, do estado da economia, da derrota do nosso clube amado, do último livro que lemos, do concerto a que queremos ir, do último modelo de um gadget qualquer que queremos comprar. Falemos até da tristeza de um comum conhecido qualquer, da miséria em que se deixou envolver, do marido da filha que lhe bate, do filho que acabou o curso e está no desemprego, ou do filho que não acabou o curso e também está no desemprego.  Digamos desemprego como quem diz Porto, Lisboa ou Paris. Como quem diz campo ou cidade. E depois, quem sabe. Um dia talvez marquemos um jantar, e nos possamos conhecer melhor.

POR UMA VERDADEIRA ACADÉMICA

A profusão de situações duvidosas verificadas nos últimos tempos na Associação Académica de Coimbra - Organismo Autónomo de Futebol não podem deixar os verdadeiros académicos indiferentes. Ver o nome da Académica envolvido nas teias da lei, associado a esquemas financeiros pouco claros, conotado com incumprimentos vários e com notícias negativas constantes na comunicação social, tem sido uma constante nos últimos anos. Adicionalmente, tem sido notória a total inexistência de uma política social, desportiva e universitária coerente e que honre os pergaminhos do clube e da instituição. Face a tudo isto, há que demonstrar a indignação, dar uma voz à vergonha que sentimos e à dor que nos assalta, clarificando perante os órgãos directivos da AAC-OAF o total repúdio por muitas das suas atitudes e pela forma como contribuiram para desvirtuar a verdadeira Académica, aquela que muitos de nós já começam a esquecer e que outros não podem, pura e simplesmente, conhecer. Aqueles que abaixo assinam, manifestam a sua total discordância e repúdio pelo estado a que chegou a AAC-OAF, demarcando-se totalmente dos seus órgãos directivos, exigindo a tomada de medidas que respeitem os seus verdadeiros valores, identidade e singularidade académica.

ASSINE A PETIÇÃO AQUI.