segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

DEZEMBRO

Antes de começar a divagar, convido-vos a ler este post do Victor Afonso: Mais uma Onda de Proibições. E o que é que isso tem a ver com o que vou dizer a seguir? Ora, nada, rigorosamente nada. Ou tudo, absolutamente tudo. O bentinho, aqui ao lado, tão lindinho, com esta carinha de pequeno demónio faz-me lembrar um pai natal com a sua indumentária encarnada. Um daqueles pais natais vingativos que vêm cobrar às crianças a menor das faltas. Somítico! Tudo são desculpas para não dar uma prenda!
Ia falar sobre Dezembro. O décimo mês do ano. Perdão, o décimo segundo...! Dezembro é o mês do ano que mais me deprime. Os dias são frios e chuvosos, mistura que me irrita. Se fossem nevosos e frios, menos mal... Os dias têm poucas horas de sol. Há uma atmosfera de férias e descontração a pairar. As prendas, as hipócritas mensagens de felicidades e desejos de tudo e mais alguma coisa. Anualmente chegam os sms's, os e-mails, os postais de fulano e cicrano de quem já não temos notícias há... UM ano! Não há coisa que mais me irrite que receber mensagem de Feliz Natal e Próspero Ano Novo de alguém de quem não tenho nenhuma notícia há... Um ano! Eventualmente, também mandaram a porcaria do sms ou do e-mail, ou do postal (pronto, no caso do postal sou mais brando... se vier com selo estão perdoados!) no dia de Aniversário! E parece que somos todos amigos, e que nos queremos muito bem, e que não podemos viver sem a Felicidade do Outro! Uma Merda!
Fecho-me em casa, a ouvir músicas de Natal para ficar ainda mais deprimido, pois claro, que mais se pode fazer?! Estupidez? É como quem ateia um fogo para apagar outro!
Dezembro faz-me lembrar... Não! Não é Dezembro, é a merda da hipocrisia e das mensagens! São essas músicas irritantes, tocadas até à exaustão (mas será que a porcaria do disco rígido, ou do CD, ou da Pen, ou seja lá onde for que estão gravadas, não se risca?)! É esse clima de confraternização e perdão! É o sino da aldeia e a já tradicional farra do 24 para o 25, a comer carne entremeada e a jogar lerpa (leiam em silêncio, não vá a Inspecção que inspecciona os jogos ilegais ouvir, ou pior a ASAE, que as condições de higiene não são certamente cumpridas)! É a bruxuleante fogueira! A noite fria que promete neve, mas nunca cumpre! Tudo isso me faz lembrar as pessoas irremediavelmente perdidas que passaram, que ficaram, que algures talvez pensem e sintam o mesmo. Tudo isto me faz lembrar as prendas que esperei e nunca chegaram (sim, tenho dinheiro na algibeira para as comprar, mas de que me vale, agora já não servem para nada; para tudo há um momento certo)! Pior que as prendas, tudo isto me faz lembrar das pessoas que esperei e não vieram. Às vezes chegavam postais (ainda não havia esta treta dos sms: toma lá 160 caracteres!), mas sempre me pareceram tão falsos, que em vez de sentir as pessoas mais próximas, sintia que mais se afastavam. 
Dezembro é também o mês em que, neste nosso relógio interior regulado por falsos marcos, tomamos consciência de tudo aquilo que continua por concretizar; o melhor é não pensar nos planos que ficaram por fazer... O melhor é nem sequer fazer planos. 
Dezembro é um mês muito triste para os pessimistas e depressivos! Só mesmo o bentinho e as suas asneiras para me fazer rir! Bem, metade já passou...

Post-Scriptum: como não me apetecia fazer outro post, deixo aqui uma adenda: descobri este magnífico blog: Badamalos. Pronto, não é um blog magnífico, é um blog como outro qualquer, Badamalos é que é uma aldeia magnífica! Pronto, não é uma aldeia magnífica, é uma aldeia como outra qualquer! Porém, Badamalos é uma das aldeias dos meus antepassados, por isso é uma aldeia magnífica, e um blog sobre esta aldeia é magnífico para mim! (As outras aldeias dos meus antepassados, para que conste, são: Pai Penela, Sorval, Valbom, e Santa Eufêmia)

Teste: VerveEarth.com

13 comentários:

  1. ah...
    eu gosto do natal... e de dezembro...

    ResponderEliminar
  2. Contra o mês não tenho nada e até não me deprime o tempo. Mas compreendo.
    O espirito do Natal...até vou tendo, uns anos mais que outros (este ano ainda não deu para esses luxos..não há tempo)
    O que me chateia nesta época é mesmo como as pessoas conseguiram tornar a "época de paz e amor" (que utópico, credo) na época da hipocrisia, por excelencia. As pessoas reunem-se com quem não querem, compram presentes para quem não lhes diz nada e mandam, recebem e retribuem mensagens àqueles que há muito deixaram de lhes estar próximos do coração. Sorrisos, abraços, senta-te à minha mesa, come do meu pão (e agora vê lá se te pões na alheta que já não te posso ver à frente).

    ResponderEliminar
  3. Precisamente! Acho o mês de Dezembro bastante "doloroso", não pelo tempo, mas pelas infinitas celebrações.
    Começamos com o Natal e a hipócrisia que infelizmente vem por arrasto. Acho que quanto mais velhos vamos ficando, mais intolerantes ficamos aos joguinhos do faz de conta. Nesse aspecto estou como tu, irrita-me receber votos de Boas Festas de pessoas que durante um ano não se interessaram se estava viva ou morta.
    Depois segue-se a odiosa Passagem de Ano que, para mim, apenas serve para me mostrar que um ano depois pouco ou nada mudou e as perspectivas para o ano seguinte continuam tão negras como sempre. :S

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Bela descriçao da fogueira... O que vale é que o Andre nem se vai dar ao trabalho de ler este post tao grande... Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. olá FOXX, eu gostarei do Natal quando tiver neve e não me mandarem mensagens só por mandarem! E quando não me vierem com simpatias extremadas pessoas que durante um ano inteiro se estão a marimbar para mim... Um grande Abraço.

    P.S. Se tivesse neve, só a neve, talvez gostasse um pouco do Natal...

    Let it Snow, Let it Snow...

    ResponderEliminar
  6. Mnemósine, faço das tuas palavras minhas:

    "As pessoas reúnem-se com quem não querem, compram presentes para quem não lhes diz nada e mandam, recebem e retribuem mensagens àqueles que há muito deixaram de lhes estar próximos do coração. Sorrisos, abraços, senta-te à minha mesa, come do meu pão (e agora vê lá se te pões na alheta que já não te posso ver à frente)."

    Não poderia ser dito de melhor forma! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Olá Anita, e o pior é que as celebrações - apenas as celebrações, que o suposto espírito, é apenas isso: suposto - parece que cada ano esticam mais. Este ano, em pleno mês de Outubro vi decorações de Natal, etc... Qualquer dia é o ano todo!

    Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  8. olá Maninha, eu estou-me a marimbar para o que o André lê ou deixa de ler! Lê quem quer, que eu não obrigo ninguém. As minhas opiniões são as minhas opiniões, e não as mudo para agradar a ninguém!

    Um grande beijinho, e abraço para o André. Cá vos espero para o Natal, a fogueira, e tudo mais.

    ResponderEliminar
  9. André: obrigado pela referência ao meu tasco. O teu texto acabou por complementar o meu (e concordo com muitas observações que fazes).

    Saudações,
    VA

    ResponderEliminar
  10. É por tudo o que já aqui foi dito que me estou borrifando para o Natal. E com este, já cá conta, deixa lá ver... 62 natais!
    O mês de Dezembro até nem me deprime, sinceramente! O que me deprime são a trampa das pessoas que fazem deste mês um mês de Amor, Paz e Solidariedade! Como se os outros 11 meses do ano não tivessem direitos iguais! Haja Paz, Amor e Solidariedade 365 ou 366 dias por ano, porra!
    É por isso que eu todos os dias do ano, desejo um feliz natal a quem me cumprimenta! P'ra chatear e p'ra não se esquecerem que o Natal não é só em Dezembro...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado