terça-feira, 25 de novembro de 2008

RECORDAÇÕES

Dizia Jorge de Sena - parafraseando, que não sei a frase de cor, nem tenho o livro Antigas e Novas Andanças do Demónio por perto -  que o pudor é essencialmente uma virtude breve. Penso que seja no conto Os Amantes, mas a minha memória facilmente me trairá, ao gosto das suas vontades e desejos. Num conto cujo conteúdo o título faz antever, esta frase, com fulgor de máxima, faz todo o sentido. Seriam amantes se o pudor não fosse uma virtude breve? Bem, algumas mentes mais retraídas e pecaminosas, refutar-me-ão dizendo que os amantes são essencialmente pessoas sem virtude. E para que precisam da virtude, se se podem amar? Não é o amor a maior das virtudes?


Voltando ao início. Estava um amigo meu a mostra-me um álbum de fotografias antigas, a maior parte da sua infância e adolescência. O melhor amigo da escola primária, a primeira namorada. As férias em casa dos tios, a prima que já não vê há tantos quantos os anos que a distância ou a pouca vontade a isso obrigou. E como eu invejei aquele sorriso, aquele brilho nos olhos, aquela alegria breve que invadiu o meu amigo e rejuvenesceu por instantes a sua face. Cogitava em dizer-lhe o quanto o invejo, e o quanto invejo as pessoas que conseguem abrir um álbum de fotografias, e voltarem a ser felizes por momentos, enquanto recordam instantes felizes do seu passado. Mas o pudor não me deixou que lhe confessasse a minha inveja. Contudo, como o pudor é uma virtude essencialmente breve, aqui lho estou a dizer, e a todos vós que por uma qualquer eventualidade ou contingência aqui gasteis um pouco do vosso tempo. No fim, guardarei só para mim a inveja, e voltarei a ser virtuoso.

8 comentários:

  1. Há "invejas" que não devem ser escondidas, nem por falsos pudores; fazem-nos bem à alma e à alma dos outros, principalmente.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. adorei de verdade os seus textos, vou te acompanhar ok?
    beijos e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  3. :) fotografias---dias, memorias...FROZEN IN TIME.. They are my most precious valuables I own. Abracos--- Julie :)

    ResponderEliminar
  4. Adorei a sua " inveja " eu sou uma coleccionadora compulsiva de fotografias, passo a vida a tirar a fotografias a tudo...
    Agora é mais aos meus netinhos porque os meus filhos não acham muita piada a ser fotografados, no entanto em datas festivas onde quase sempre todos estão reunidos, mesmo com a refilisse deles, eu lá vou tirando as minhas fotografias. No fim alguns deles até me pedem para lhes dar algumas ;))
    Tenho albuns e álbuns de fotos, tenho um caixote cheio delas, por último este meu PC está carregado delas:
    É bom reviver os bons momentos de há muitos e muitos anos, quase que me lembro de tudo o que se passou na altura que foi tirada, ao vê-las e muitas vezes choro outras me fazem sorrir ;))
    Beijinho com ternura

    ResponderEliminar
  5. Olá Pinguim,

    Não costumo esconder a minhas... Até porque não são exactamente invejas, mas admiração, e até estupefacção... Abraço

    ResponderEliminar
  6. Olá Camila, Obrigado pela visita, fico contente por saber, sempre que alguém diz que gosta dos meus textos. Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Olá Coelha,

    Concordo que as memórias são as coisas mais preciosas que temos; afinal de contas, nós somos as nossas memórias... Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá Senhora do Sado,

    Tenho visto as fotografias que partilhas nos teus posts ;-) São uma forma de guardarmos para nós um pedacinho daqueles que amamos, e dos bons momentos que passamos com eles... Um grande beijinho...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado