quinta-feira, 30 de outubro de 2008

E, PARA QUE SERVE A ALMA SE A NÃO PUDERES NEGOCIAR*?!


Um escritor nunca esquece a primeira vez em que aceita umas moedas ou um elogio a troco de um história. Nunca esquece a primeira vez em que sente no sangue o doce veneno da vaidade e acredita que, se conseguir que ninguém descubra a sua falta de talento, o sonho da literatura será capaz de lhe dar um tecto, um prato de comida quente ao fim do dia e aquilo por que mais anseia: ver o seu nome impresso num miserável pedaço de papel que certamente lhe sobreviverá. Um escritor está condenado a recordar esse momento pois nessa altura já está perdido e a sua alma tem preço.
Carlos Ruiz Zafón, in. O Jogo do Anjo


*PRIVATE MESSAGE PARA UM ANJO: Sim, ultimamente só tenho pensado em dinheiro; porém, cogita um pouco: é regra geral que o ser humano cisme naquilo que lhe faz falta e dê pouca importância àquilo que está à distância de um abraço. O que não significa que aquilo que cabe no aperto de um abraço seja menos importante; apenas menos ausente. E a ausência, a ausência fere.

14 comentários:

  1. Hoje em dia não se escreve para se fazer arte, mas antes para se fazer negócio, tanto que muitos escritores são autênticos mercenários ao serviço das grandes editoras. :|
    É certo que o lado financeiro da escrita também é importante, mas não deve ser sobrevalorizado em detrimento da qualidade.

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente é bem verdade... cada vez mais se vendem as almas

    ResponderEliminar
  3. Se mais se menos, não sei. Mas vender a alma tem muito que se lhe diga. Por vezes, é mesmo a única opção... E os rasgos de vaidade, e os acessos de orgulho, são capas do medo, da mágoa e da honra perdida de um ser que é o campo de batalha entre ética, orgulho, honra e sobrevivência...

    ResponderEliminar
  4. Olá:)

    Fiquei a conhecer o teu blogue através da minha lista de seguidores e vim agradecer!
    Já andei a viajar por estas letras que aqui escreves e estou rendida. Gosto muito do tipo de textos escolhidos/escritos e também eu serei uma seguidora fiel daqui em diante!;)

    Quando ao preço da alma, ui... A tabela vai variando e o assunto dá pano para mangas!

    ResponderEliminar
  5. Nelson,

    perante o actual estado da sociedade, julgo que passamos os dias a vender a alma... é mesmo uma questão de sobrevivência...

    ResponderEliminar
  6. Olá Lua,

    Infelizmente, cada vez mais a alma é vendida por menos... O coitado do Dorian Gray ainda teve a juventude e beleza... enfim, pano para mangas, sem dúvida...

    ResponderEliminar
  7. olá Sofia,

    E como viver sem a vender... e não é apenas na literatura, é nos principios, nos ideais, em tudo...

    ResponderEliminar
  8. olá Maldonado,

    Sim, é incrível como alguns autores debitam palavras... ao ponto de parecer que estão constantemente a (re)escrever o mesmo livro...

    ResponderEliminar
  9. "é regra geral que o ser humano cisme naquilo que lhe faz falta e dê pouca importância àquilo que está à distância de um abraço."


    é tudo o q sinto hoje...

    ResponderEliminar
  10. Querido Cláudio,
    obrigada por teres visitado o meu blog...nem um comentáriozinho deixaste :(...
    E também quero agradecer por me estares a seguir.
    Achei o teu blog bastante interessante!!!!!
    E cá vou vindo futuramente.

    Quanto ao teu post, é mesmo verdade, concordo plenamente!Tá tudo dito!
    Beijoca grande

    ResponderEliminar
  11. olá Estrela Cadente, olha as amêndoas na páscoa!

    Logo te deixo um comentário (ou mais, os necessários, quando tiver um tempinho)

    Beijo

    ResponderEliminar
  12. olá FOXX, é o que eu tenho sentido desde há muito...

    ResponderEliminar
  13. Estou agora a ler O Jogo do Anjo, simplesmente adoro o autor :)*

    ResponderEliminar
  14. Sá ainda consegui ler umas 30 páginas... ando sem tempo para nada...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado