segunda-feira, 27 de outubro de 2008

AS MÃOS SUJAS*

- Podia parar tudo... Ficarmos só nós os dois. Sós, no momento irreversível** em que os nossos olhares se tocam... E tudo seria perfeito, seríamos felizes.
- É impossível! - Diz-me. - Ambos o sabemos!
- E, no entanto, real...
- Talvez...
- Quem quer que assim seja? - Pergunto-lhe.
- Ambos!
- Ou nenhum... - Replico.
É um complicado jogo de probabilidades...

*Título roubado a uma obra de Jean-Paul Sartre.

**Todos os momentos o são [irreversíveis].

6 comentários:

  1. Foda-se pá! Sabes o que é que estás a merecer? Estás a merecer um sonoro "Deixa-te de merdas!"

    ResponderEliminar
  2. Sim, é verdade; mientras, para que conste, o post é uma private message... Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Momentos estanques não me trazem felicidade...


    Stay Well

    ResponderEliminar
  4. momentos fazem-nos felizes, ou infelizes...mas a vida não é composta por um momento...mas sim por um conjunto deles..e quando isso falha...muita coisa falha..

    gostei do teu blog.parabéns

    beijo

    ResponderEliminar
  5. olá Kris,

    obrigado pela visita e pelo comentário. por vezes um único momento altera todo o resto de uma vida. apesar de ser um lugar-comum, é bem verdade que a vida pode mudar num segundo... E bem, como dizia o William Shakespeare, pela voz de Hamlet, a mais pequena impureza turva a substância mais pura...

    ResponderEliminar
  6. olá Nelson, nenhum momento é estanque, a memória que temos deles é que o é... a memória é como uma fotografia (talvez menos fidedigna, mas mais artistica), capta apenas alguns instantes em situações que os antecedem e os prolongam...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado