quinta-feira, 10 de julho de 2008

RELÂMPAGO*

Rasguei-me como um raio rasga o céu.
Iluminei-me todo de repente.
Negrura permanente
De noite enfeitiçada,
Quis ver-me com pupilas de vidente,
E arrombei os portões à madrugada.

Mas nada vi. Caverna de pavores,
Só com tempo e vagar eu poderia
Encarar,
Castigar
E perdoar
Tanta abominação que em mim havia.


*Miguel Torga, in. Orfeu Rebelde (edição de autor).


À falta de tempo e disposição para aqui publicar o que quer que seja - deve ser da pré-depressão, depressão, e pós-depressão, de mais um aniversário da minha morte... um brinde a este cadáver que se arrasta pelas veredas pedregosas da vida, e se alimenta do pó dos dias...

9 comentários:

  1. Meu Deus, o que por aí vai, André...
    Força rapaz!!!!!!!!!!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelos vossos comentários, amigos Arion e Pinguim; de quando em quando (vezes demais) dá-me para andar com o passado às voltas na cabeça, e depois saem coisas destas... felizmente daqui a dois dias bebo um whisky duplo sem gelo, e depois passa-me durante uns tempos... forte abraço para vós.

    ResponderEliminar
  3. Ai homem! Vai apanhar um bocado de sol e vai até Barca d'Alva dar uma banhoca no Douro. Passas por Castelo Rodrigo e olha para o horizonte.
    (Assim de repente é uma sugestão!)
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. olá Sócrates, até me fizeste rir... Conheces bem esta zona, muito bem, já tinhas referido isso, algures, num qualquer post ou comentário...

    Quem sabe, talvez pense na tua sugestão...

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  5. Então meu amigo espero que já tenhas bebido o teu whisky e já te sintas melhor.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  6. Sei bem o que isso é (somos gémeos, não é verdade?)... Também tenho «ataques de passado».
    Passam, mas até passar aperta-se de tal forma o coração...
    Força!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Olá special k, às 14h49m do dia 12 de Julho... Ou seja, acabei de o beber... Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  8. olá xantipa, e que ataques!... Um brinde aos gémeos, e aos ataques de passado!

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado