terça-feira, 29 de julho de 2008

CONFISSÕES DE UM PROTOALCOÓLICO #2

- Que grande desilusão que tu és para mim... - disse-me ela, chorando amargamente.
- Nunca conseguirei habituar-me a esta dor... - concluiu, soluçando...

- Consegues, consegues! - pensei, enquanto tragava as últimas gotas do Johnnie Walker Black Label. - Eu próprio ultrapassei a dor da desilusão que sou para mim mesmo há muitos anos... - mas não lho podia dizer. A sua dor causava-me um certo prazer; afinal dissera-lhe vezes sem conta, «afasta-te de mim, eu não sou quem tu pensas, eu nunca poderei ser quem tu pensas...» E ela respondia «não me importo!» E ela repetia «não me importo!» E ela insistia «não me importo!»

Mas, afinal, apenas eu não me importei...

1 comentário:

  1. oi, pa tudo bem..olha tive a dar uma vista de olhos no blog, e pareceu-me este post o mais indicado, par te dizer para ires ver e comentar o helderfrancisco....
    talvez me falte lá esse promenar, do alcóol.. afogar as mágoas num liquido forte e ardente, que nos faz esquecer as cruelades da vida...abraço..

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado