quarta-feira, 30 de julho de 2008

ACONTECEU EM ALGUM LUGAR, NALGUM TEMPO, AiNDA QUE APENAS NA NOSSA iMAGiNAÇÃO...

Perdeu o terceiro dia a juntar as águas inferiores, para que se pudesse ver a parte sólida que ocultavam. Estava velho e cansado, e apesar do conhecimento enciclopédico que possuía, já se lhe olvidara do nome da coisa que as águas inferiores escondiam. Decidiu chamar-lhe terra, embora considerasse de imediato que não era um nome nada original. Depois, quando acabou de ajuntar as águas, viu que ainda tinha a tarde inteira para brincar aos inventores. Foi então que decidiu que era hora de criar as verduras, porque um mundo castanho e azul lhe parecia demasiado entediante. Bocejou, e de seguida criou, com um gesto lento e pesado, a relva e as árvores frutíferas, a quem ordenou que dessem frutos («aproveitando o facto de serem frutíferas…» pensou) sobre a terra, mas que nunca se atrevessem a fazê-lo sobre o mar. Mal acabara de dar esta ordem, já uma macieira esguia se escapulia para o mar, correndo sobre duas raízes raquíticas, com os seus galhos esgazeados a abanar. Para mostrar o seu poder às outras árvores, deixou que a pobre se afogasse. Amedrontadas, enfiaram as suas raízes na terra, e encolheram-se. Deus, vendo que tudo era bom, mas que mesmo assim elas lhe podiam desobedecer, tirou-lhes a força das raízes, e assim ficaram presas para sempre. Pintara-se no firmamento o crepúsculo quando Deus decidiu que as águas inferiores a que não tinha dado nome, e que agora estavam juntas, se deviam chamar mar. Deitou-se sobre a terra, olhando uma macieira escanzelada que tremia enroscada no elemento sólido. «Estas macieiras ainda me hão-de dar chatice!», pensou. E foi dormir.

Fabrízio Tommasini, excerto inédito, e não revisto, de um livro cujo título o meu amigo não me deixa revelar. A imagem é um pormenor do quadro Jardim das Delícias Terrenas, de Bosch, e foi abduzida algures do blog do André.

3 comentários:

  1. Tanto o texto como o pormenor do "Jardim das delícias" estão uma maravilha. Bem que Deus já previa sarilhos futuros com maçãs. LOl!
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  2. Que texto fantástico! Sinceramente, um dos melhores que já li no teu blog. Parabéns ao Tommasini.

    ResponderEliminar
  3. olá Special K, o Tommasini agradece o elogio... Um gd Abraço.

    Olá Mda, pode ser que o nosso amigo Fabrízio Tommasini se decida a escrever as 800 páginas que diz que lhe faltam, para poder publicar... por agora tem 200... Abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado