quinta-feira, 19 de junho de 2008

A EUROPA

Dizem alguns comentadores e políticos que a Europa não pode ficar refém de um milhão de irlandeses (um pouco menos; aqueles que votaram não). Engraçado, no mínimo, como alguns indivíduos, pseudo-pensadores, pretendem pensar pelos outros! E eu que pensava que a Europa estava refém de uma corja de 1000 ou 2000 (poucos, não importa o número) auto-intitulados "europeus" que tudo fizeram, na sua prepotência legislativa, para evitar que os verdadeiros europeus se pudessem pronunciar sobre a Europa que lhe querem oferecer. Não existem 490 milhões de europeus reféns de um milhão de irlandeses. Um milhão de irlandeses libertaram 490 milhões de europeus dos carcereiros que quiseram decidir a seu bel-prazer o futuro da Europa. Quando os lamuriosos políticos "europeus" quiserem uma Europa dos europeus e para os europeus, deixarão que sejam os europeus a decidir que Europa querem. Porque a Europa é de todos os europeus e não de 1000 ou 2000 sujeitos - indivíduos (?), tipos (?), gajos (?) - que se julgam iluminados (não sei por que ideia, ou por que espírito - mas nem a ideia é clara, nem o espírito santo...)
Posto isto, se tivesse havido um referendo em Portugal provavelmente teria votado "Sim", mas não ter havido referendo é imperdoável! Imagem, Europa Antropomórfica, daqui.

4 comentários:

  1. clap! clap! clap! clap!


    (excepto a parte que terías votado sim...)

    ResponderEliminar
  2. Muito bem relacionado, muito bem exposto. Parabéns (claps!) e um abraço,

    ResponderEliminar
  3. Sou um europeísta convicto, mas revejo-me, em parte, no que dizes. Estas políticas ultra-liberais fazem tábua rasa de todo e qualquer aspecto social, e ninguém é ouvido nesse sentido. Assim, não pode ser.

    ResponderEliminar
  4. meu caro André, com ou sem Europa, contra ou a favor da vontade dos europeus este tratado é para seguir em frente. Eu acredito numa Europa unida mas tem que ser construida pelas pessoas não pelos políticos. Se calhar também votaria sim num possível referendo mas da maneira como as coisas estão a ser conduzidas fiquei com grandes dúvidas.
    Um abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado