quarta-feira, 14 de maio de 2008

STATE OF MIND

Há dias - quase um mês, como o tempo passa! - um amigo disse-me «tens que deixar de ser paizinho de toda a gente!» O estúpido do meu cérebro que nunca consegue estar parado - nem que seja para cogitar nas águas da pura estupidez, da negra morbidez, ou de outras coizas - com z, porque a palavra fica muito mais bonita - terminadas em -dez - onde ia? Já me recordo: o meu cérebro que não consegue parar um segundo, ficou a pensar nisto - juntou-se este pensamento a outro ingrediente - dizem que na blogosfera não se devem escrever textos com frases assim, truncadas por hífens, parênteses (o que eu gosto dos parênteses!), que o texto torna-se aborrecido e ninguém o lê - mas eu estou-me a marimbar para isso, porque no fundo isto é um não-diário; e também não se devem escrever frases longas, nem deixar frases a meio, nem divagar entre diversas ideias, nem ser redundantes - e outras coisas rechonchudas - antes que me esqueça aviso que roubei a imagem a um blog - tenho uma pasta dentro da pasta imagens que se chama «imagens de blogs» - mas não faço a menor, a mínima, ideia de que blog foi - se alguém se sentir lesado reclame (só respondo a requerimentos devidamente apresentados, em papel com marca d'água, 23 linhas, e com margens de três centímetros, após medição) - juntou-se o ingrediente da idade (fico assim, a pensar na idade, quando o meu aniversário se aproxima - posso afirmar que penso muito em mim, na minha vida, e etecetra, aniversariamente, depois esqueço-me) e sim! Amigo, dou-te razão. Tenho que deixar de ser paizinho de toda a gente. Preocupo-me, ajudo, pergunto, disponho-me, condeno-me, culpo-me, rejubilo - e depois ninguém quer saber de mim... Deve ser por ser tão dado - ou tão feio. Mas isso é uma questão de gosto - ou será de estética? Não encarem a pergunta como retórica, que isso é uma coisa que também se não deve fazer, para atrair leitores!

17 comentários:

  1. Parabéns pelo texto de desabafo.Vim te convidar para conhecer o Compartilhando as letras, sua visita muito me honrará.Abraços.
    www.compartilhandoasletras.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Muito interessante a tua divagação sobre a "forma" com que se apresentam os textos, na blogosfera.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Não sei se se devem ou não fazer essas coisas que dizes, num texto de blogue. O que sei é que gosto muito de ler textos assim, com todos esses volteios coloquiais. Muito bem escrito.
    Quanto a ser paizinho de toda a gente... não me posso pronunciar...:)

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Leis na blogosfera?
    Mas que audácia!
    : ~~
    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Continua a ser como és enquanto te sentires bem a sê-lo.
    Se te sentes bem a preocupar, ajudar, perguntar,então continua!
    Se alguém se incomoda com isso,isso é problema de alguém não teu...

    ResponderEliminar
  7. Gosto do modo como escreves e quem não gosta que não volte, não é verdade? A mim incomodam-me aqueles que não são obrigados a gostar nem a visitar e que entram só para insultar, normalmente escudados por anonimato.
    Bem, esqueçamos essas coisas e pensemos que só falta uma semana para o nosso aniversário...
    ;)
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  8. olá kiara, muito bem vinda. volta sempre, que serás sempre bem recebida... um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  9. olá sónia, já dei uma vista de olhos, quando tiver tempo, visitar-te-ei com mais calma... beijinho.

    ResponderEliminar
  10. olá pinguim, li um texto num blog com algumas "regras" e decidi brincar com elas... não gosto de regras... escrevo como me apetece... e, exceptuando casos excepcionais, nunca pedi a ninguém que lesse o que escrevo... quem que lê, quem não quer que não leia... Abraço.

    ResponderEliminar
  11. olá maurice, fico lisonjeado por teres gostado do texto... quanto à segunda parte, exagero um pouco, principalmente quando estou semi-ébrio... ;-) Um grande abraço. (Às vezes temos que deixar as coisas andar... Mas eu sou um bocado obsessivo quanto ao "curso natural das coisas")

    ResponderEliminar
  12. olá Daniel, há sempre pessoas a tentar ditar regras, leis, regulamentos - o texto é apenas uma brincadeiras com as ditas regras... Abraço.

    ResponderEliminar
  13. olá pensando nisto, sou sempre quem sou, mesmo quando não "gosto" do que sou... Por mais que quisesse ser outras pessoa, isso é impossível - quanto muito fingiria ser quem não sou... mas o que somos cola-se a nós de tal maneira que é impossível fugirmos... Abraço, e muito bem vindo a este cantinho de devaneios...

    ResponderEliminar
  14. olá xantipa, estamos mesmo praticamente a ficar um ano mais velhos (vá, digamos isto de forma optimista: estamos quase a ficar um ano mais experientes!) Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  15. Eu leio!
    Acho, sinceramente, que se escrevesses de outra forma não gostaria tanto.
    Sinceridade é boa em toda a parte.
    Regras?! Não achas que chega aquelas que, supostamente, existem no nosso dia-a-dia?
    Continua assim: quem não quiser que não leia.

    ResponderEliminar
  16. Olá Ghost!

    Quando decides revelar a tua identidade?! De quando em quando apareces... vagueias pela blogosfera?! Uma alma perdida, sem nenhuma ocupação... Abraço ou Beijinho (escolhe)

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado