sábado, 5 de abril de 2008

para MEMÓRIA FUTURA

dom quixote sancho pança viajanteUm dia vou partir pelo mundo fora de mochila nas costas, dizendo adeus até nunca mais a tudo quanto se cruzar comigo... vou despir-me desta corda asfixiante de esperanças e expectativas, de sonhos e objectivos, de desejos e pretensões, que me tolhe a vontade, e partir... vou partir, só, e sem direcção, rumo ao pôr do sol como Lucky Luke; abandonar os meus livros como Dom Quixote, o fidalgo cavaleiro de La Mancha; vou desapertar a gravata das contas, das prestações, dos cumprimentos, rasgar as camisas dos papéis que tenho aceitado desse encenador cínico chamado Vida, homem com nome de mulher, como nas personagens de Vian. Vou queimar esta roupa encharcada de hipocrisia e partir. E a cada passo direi olá adeus até nunca mais alegre ou triste não sei pessoa que te cruzas comigo. E conversarei também com os objectos, os prédios e os carros, prisões que inventámos e a que chamámos Liberdade, e caminharei na companhia das árvores e dos pássaros, sob a sombra das nuvens, as maravilhosas nuvens que passam... E a cada passo ir-me-ei despindo para que a Morte me encontre nu e eu me possa entregar por completo.

16 comentários:

  1. Essa é uma viagem que também gostava de fazer. Acho graça á expressão que algumas pessoas usam para se referir á azafama do dia a dia: "ando a ganhar a vida!" Ganhar a vida!? Andam é a perde-la em toda a linha.
    abraço

    ResponderEliminar
  2. Correndo o risco de me repetir ou de pare/ser hipócrita, acredita que me identifico em todas as linas com o que aqui escreveste. Já o fiz, no entanto; e sabe bem ter para onde regressar após combater tanto moinho de vento. Abraço!

    ResponderEliminar
  3. É um texto tão belo quanto forte, com tantas pequenas referências que mais me parece um daqueles filmes em que o cineasta pretende homenagear os deus filmes de sempre, com referèncias a eles; mas é sobretudo um texto de raiva das coisas que são só do "mundo" e que homenageia as coisas belas em que poucos reparam, mas constituem a essência da Vida.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. ...caminharei na companhia das árvores e dos pássaros, sob a sombra das nuvens...

    Belo texto, me senti dentro da história.Flutuante!!!

    Parabéns André
    Voltarei mais vezes.

    Bjs!!!

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Quem é que nunca pensou em fugir desta "vida malvada"?
    Adorava poder fazer isto:
    "Mudar de roupa, soltar o cabelo
    Dormir no carro, todo nu em pelo.
    Dizer que hoje o dia está perfeito
    Pôr óculos escuros e curtir a direito.
    Pois hoje vou pegar na guitarra,
    é hoje que eu me faço à estrada"
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Nos últimos tempos, todos os dias me apetece fugir. Ora por causa do espaço, ora de mim, dos outros. Viver cansa, com a hipocrisia, ainda pior.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

    ResponderEliminar
  9. olá socrates dasilva, espero realmente fazer esta viagem... mas... a vida... por vezes pergunto-me se vale a pena andar uma data de anos a pagar contas, para no fim... se fosse suicida, definitivamente já cá não estaria... é como o poema do Álvaro, "se te queres matar..." conheces? não sei de cor, um dia deste publico-o no blog... se calhar até já o fiz... Abraço.

    ResponderEliminar
  10. Olá rato do campo, deve ser bom regressar, não sei... pois nunca o fiz! mas, raios partam os moinhos do vento, não há quem os tombe?!

    Porque é que havias de parecer hipócrita?! Abraço.

    ResponderEliminar
  11. Olá pinguim, no caso apenas alguns dos meus "filmes" de sempre... enfim, tens toda a razão, nem me tinha apercebido disso... às vezes ponho-me a pensar nisto... como tens vindo a acompanhar o meu blog deves saber porque (aliás, eu sei que sabes!)... "e eu fiquei, fiquei..." Abraço.

    P.S. Fico contente por teres achado o texto "belo" e "forte"... é apenas um devaneio, de um argonauta na imaginação... um dia, talvez o vento me leve...

    ResponderEliminar
  12. Olá Li, como já te disse, noutro local, não tenho andado com disponibilidade (quer mental quer temporal) para o blog... peço desculpa pelo atraso na resposta aos comentários, a ti e a todos... ainda bem que gostaste... é sempre bom para qualquer pessoa ouvir isso de outras pessoas. Beijinho, directamente de Portugal para o Brasil...

    ResponderEliminar
  13. olá special k, muitas vezes tenho pensado em fugir desta vida malvada... mas esbarro sempre na questão... fugir para onde? pior, eu sei para onde fugiria, porém... um dia talvez encontre outro "local" para onde fugir (ou onde me refugiar, depende do ponto de vista...) Abraço.

    ResponderEliminar
  14. Olá Paulo. Todos temos dessas "fases"... bem, no meu caso, "fase" é mais quando não ando com essa disposição (ou uma parecida)... Enfim, tem que se ir andando... A vida é uma "viagem a ver o que dá"... A hipocrisia, o cinismo, a estupidez, eu sei lá, uma infindável quantidade de epítetos, só torna a vida ainda mais difícil, às vezes quase insuportável... mas nós, o ser humano, tem forças onde hás vezes parece que já não há mais nada... espero que encontres dentro de ti essa força! Abraço.

    ResponderEliminar
  15. hi adam brown, i hope u have had a good trip! embrace

    ResponderEliminar
  16. só para dizer que conheco bem esse poema de Alvaro de Campos (Um poeta de elite para mim). E acho-o muito intenso e significativo.
    abraço

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado