quarta-feira, 30 de abril de 2008

MAY DAY

Somos precári@s no emprego e na vida. Trabalhamos sem contrato ou com contratos a prazos muito curtos. Trabalho temporário, incerto e sem garantias. Somos operadores de call-center, estagiários, desempregados, trabalhadores a recibos verdes, imigrantes, intermitentes, estudantes-trabalhadores... Não entramos nas estatísticas. Apesar de sermos cada vez mais e mais precários, os Governos escondem este mundo. Vivemos de biscates e trabalhos temporários. Dificilmente podemos pagar uma renda de casa. Não temos férias, não podemos engravidar nem ficar doentes. Direito à greve, nem por sombras. Flexisegurança? O "flexi" é para nós. A "segurança" é só para os patrões. Esta "modernização" mentirosa é pensada e feita de mãos dadas entre empresários e Governo. Estamos na sombra mas não calados. Não deixaremos de lutar ao lado de quem trabalha em Portugal ou longe daqui por direitos fundamentais. Essa luta não é só de números, entre sindicatos e governos. É a luta de trabalhadores e pessoas como nós. Coisas que os "números" ignorarão sempre. Nós não cabemos nesses números. Não deixaremos esquecer as condições a que nos remetem. E com a mesma força com que nos atacam os patrões, respondemos e reinventamos a luta. Afinal, somos muito mais do que eles. Precári@s, sim, mas inflexíveis. (Manifesto Precário, inblog Precários Inflexíveis)

9 comentários:

  1. Esta é a forma de escravatura legal do século XXI.
    Até na TV são descriminados:
    http://va.vidasalternativas.eu/?p=857

    Um abraço e FORÇA!

    ResponderEliminar
  2. O 1º de Maio é um dia que será sempre lembrado, não por ser (justamente) feriado, mas porque é o DIA DO TRABALHADOR!

    ResponderEliminar
  3. Meu pai é patrão e não tira férias a 20 anos. Dos 12 meses do ano, o Brasileiro é o que mais descansa, não trabalha em torno de 2 meses e meio inteiros. Na Europa, as pessoas ganham seguro desemprego de 3000 euros por 3 anos se precisar. Alguém quer? Não, lá é desaforo você aceitar essa situação. Sou a favor da voz a todos, mas descordo de corpo e alma de algumas coisas que você disse. Também tenho voz.

    E hoje é meu aniversário. Me deixa um comentário de felicidades. Hehehehe, abraços!

    ResponderEliminar
  4. Existe muita injustiça neste campo. Haverá justiça em algum aspecto da vida humana?
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. olá special k,

    infelizmente, o mundo em vez de melhorar parece que piora a cada instante - cada vez parece melhor, mas é apenas ilusão - encoberta por termos hipócritas como recibos verdes, contrato a termo, estágio - isto apenas para falar na área do trabalho... enfim, cá se vai andando (como diz a musica) com a cabeça entre as orelhas... Abraço

    ResponderEliminar
  6. olá pinguim,

    há sempre um dia no calendário para o elo mais fraco... Era bom que chegasse um dia em que dias como este não fossem necessários! Era bom que chegasse um dia em que este dia (e outros como este) fosse todos os dias... enfim, um pequeno lugar-comum para enfeitar os nossos dias... Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Olá Daniel,

    Deixei a felicitação, sim... Olha, existem bons e maus patrões, e bons e maus trabalhadores, como em tudo na vida... o preocupante é a exploração institucionalizada... Abraço.

    ResponderEliminar
  8. olá sócrates, pergunta de retórica essa... não exige resposta, não é?

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Trabalho a recibos verdes e ao que parece, na minha área (Arqueologia)é assim até à "reforma" ou até quando a maioria das pessoas deixa este sonho de lado e opta pelo sonho de ter estabilidade e família. Sei perfeitamente o que são maus patrões (daqueles que não se importam se tens ou não contas para pagar e só te pagam 3 a 4 meses depois, daqueles que não te dão as mínimas condições de trabalho e te obrigam a trabalhar horas e horas, faça chuva ou faça sol, daqueles que não permitem que fiques doente - sim, pelos vistos só fica doente quem quer - e te mandam para casa num minuto sem terem de dar quaisquer explicações ...), mas também sei que há patrões que nunca tiraram férias, que trabalham desalmadamente para que não falte nada aos seus empregados, (o meu pai é um deles).
    Parece-me que há por ai de tudo, embora deva dizer que são mais aqueles que mereciam ir brincar com os instrumentos da Inquisição...

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado