segunda-feira, 21 de abril de 2008

A FESTA

Na madrugada de sábado, 19, para domingo, em Coimbra, um miúdo - ou rapaz, como preferirem; eu é que me sinto velho e trato todos os indivíduos do sexo masculino por miúdos, mesmo aqueles que são mais velhos que eu - vendo-me correr (ou andar em passo apressado) disse: Onde vais com tanta pressa? A festa já acabou! Olhei-o por um instante e continuei, fugindo da chuva, enquanto pensava Oh, se acabou! Há tanto tempo que acabou!

12 comentários:

  1. A questão se se pensar em algo, num determinado momento, não significa ficar preso a esse pensamento, até pode ser libertador...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Oi André!
    Gostei do Blog.
    Quanto aquele poema que você leu, ele foi escrito em outra disposição, mas quando coloco no blogger pra postar ele perde a formatação. Não consegui fazer voltar.
    Quanto ao texto, achei interessante essa relação entre pressa e idade.As vezes temos a impressão que pessoas de idade não podem correr, justamente porque a festa deles já se acabou a tanto tempo.
    É isso.

    ResponderEliminar
  3. A festa é quando um homem quiser...
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Tinha que ser na minha cidade natal :P A festa pode ter acabado, mas podes sempre ir a outra ;)

    Abraço!

    ResponderEliminar
  5. Ó, se acabou! Mass é que acabou mesmo. O resto são simulacros. Abraço!

    ResponderEliminar
  6. olá pinguim,

    era eu a ser irónico comigo mesmo! abraço.

    ResponderEliminar
  7. olá dansigner!

    sim, eu percebi que era o blogger que alterava a formatação!

    e não, não sou uma pessoa de idade, ainda sou bastante novo... eu é que me sinto velho...

    abraço.

    ResponderEliminar
  8. olá sócrates,

    "a festa é quando um homem quiser..."

    ... e a mulher (ou o homem) deixar!

    eh eh ;-)

    Abraço.

    P.S. Não resisti a completar a tua frase!

    ResponderEliminar
  9. olá mikael! a tua cidade natal, e uma das minhas cidades adoptivas! ;-) É, há lá sempre muitas festas! Julgo que se referia à festa na Ai-Ó-Linda...

    Abraço.

    ResponderEliminar
  10. olá rato do campo!

    Reles imitações, diria mesmo... às vezes réplicas desse grande sismo que houve nas nossas vidas... mas nunca mais que isso... um grande abraço.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado