sábado, 26 de abril de 2008

25 DE ABRIL SEMPRE. E JÁ AGORA, OUTRA VEZ.*

É um dia bonito. A queda daquele regime idiota, despótico, cruel e atrasado (em todos os sentidos), deve ser celebrada. 25 de Abril sempre. Mas antes de escrever este texto, vejo-me a falar com uma amiga jornalista no messenger. Está a "trabalhar". Está a estagiar, de borla, e sabe que se quer conseguir o fabuloso ordenado de 500 euros, sem direito a contrato, tem que se esmifrar e trabalhar até em feriados. Ou seja, tem que se sujeitar a todos os abusos, perder todos os direitos, para sobreviver. O capitalismo chama-lhe "perseverança", com algum sentido de humor. Negro. É preciso outro 25 de Abril. Sempre e outra vez.
*m. inblog 2+2=5. Este post é que o Público devia ter citado. Porque razões não o fez, não sei. Talvez por distracção.

5 comentários:

  1. Sem duvida que precisamos de outra revolução. Sempre. Para que ninguem se acomode.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Meu caro André, acho mesmo que sim.
    E eu que até sou leitor do público raramente o compro aos sábados e domingos.
    Parabéns e um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Acomodados, acho que já andamos... infelizmente... Abraço, amigo socrates.

    ResponderEliminar
  4. special k, não sabes o que perdeste! ;) claro que ninguém gravou a minha expressão ao ver-me citado, eu ainda li duas ou três vezes, para ter a certeza... abraço.

    ResponderEliminar
  5. :) Parabéns André ! Ser referenciado em qualquer meio de comunicação desta forma é um Orgulho, e recompensa de um 'trabalho' bem feito e valorizado por terceiros. agora, permita-me que sendo um defensor da livre expressão, não me parece correcto tanta 'qualificação' sobre o antigo regime e pouca consideração sobre o que se passou de bom antes e de mau depois. Será que não havia outra forma de ter feito as coisas ? Parece-me é que saiu tudo relativamente bem, apesar dos sacrificios.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado