segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

a solidão*

Ao inspirar a sombra negra que no quarto escuro o envolvia, concluiu que a sua vida se resumia numa mentira: sempre que dissera que gostava de estar sozinho sem ninguém para aborrecer, nem ninguém para o aborrecer, mentira. A verdade é que um dia ficara irremediavelmente só, e por isso detestava a vida. Agora, ao abraçar a negra sombra, uma dúvida o assaltou: mentira ou andou a vida a enganar-se? Já não houve tempo para tentar encontrar uma resposta.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado