quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #48

A um Amor que não ousou

Sei que o dia se apagou
E não voltarás. O silêncio
inundou-nos a alma!

Escutas ainda a melodia
Que nos embalava? A alma!
Notas o tom? O silêncio

Imenso que nos invadiu.
As palavras silenciadas
A voz seca, o áspero olhar.

O dia era claro, cintilante
Mas o silêncio, escutas
O silêncio que nos feriu?

É o som de uma alma
que se dividiu.


rascunhos encontrados num caderno abandonado anteriores:
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26, #27, #28, #29, #30, #31, #32, #33, #34, #35, #36, #37, #38, #39, #40, #41, #42, #43, #44, #45, #46, #47,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado