terça-feira, 20 de novembro de 2007

O Que Me Dói

Beggar Bartolomé Esteban Murillo Spanish painter baroque boy child rapaz criança pintura O Pedinte
O que me dói são os silêncios nas horas pardas as solidões profundas pelos segundos acossadas as ausências, as memórias e os nadas. O que me dói são as alegrias de todas as chegadas e as pulsações descompassadas, esvaídas em idas alvoradas. O que me dói são praias de areia fina embrumadas e as afeições parafinadas e as ausências e as memórias e os nadas.
Luis Eusébio, no blog Porto Croft. Imagem: O Pedinte, de Bartolomé Esteban Murillo (1617 -1682) - Pintor Espanhol, nascido em Sevilha. Para saber mais, leia o artigo wikipédia. Tomei conhecimento do poema, e do blog, através do blog Cãocompulgas que, apercebi-me agora, voltou ao activo; eu bem sabia que havia alguma razão para não o apagar da minha lista de blinks - ora, pouco depois de o ter apagado, constato que voltou ao activo... Já vou tratar disso... O Porto Croft têm na descrição estas palavras de William Shakespeare: Cowards die many times before their deaths, the valiant never taste of death but once. (Os cobardes morrem muitas vezes antes de morrerem, os corajosos apenas provam a morte uma vez.) Tenho que reler o William; e tenho que ler o que ainda não li - o pior é o preço dos livros; mas pior ainda são as edições que apenas têm o texto em Português; será que as editoras não compreendem que há autores em que é indispensável que a edição seja bilíngue?!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado