terça-feira, 16 de outubro de 2007

Adriano Correia de Oliveira

Adriano Correia de Oliveira, nascido no Porto a 9 de Abril de 1942, deixou-nos muito cedo, aos 40 anos. A sua vida foi breve, mas, não foi em vão. Entre 1960 e 1980, gravou mais de 90 temas, sendo a sua música sempre repleta de muita emotividade, evidenciando dedicação aos trabalhadores, ao povo, aos ideais da liberdade, da democracia e do socialismo. Morreu em Avintes, localidade que o viu crescer, a 16 de Outubro de 1982.
"A fala do homem nascido" Venho da terra assombrada do ventre de minha mãe não pretendo roubar nada nem fazer mal a ninguém. Só quero o que me é devido, por me trazerem aqui, que eu nem sequer fui ouvido no acto de que nasci. Trago boca pra comer e olhos pra desejar tenho pressa de viver que a vida é água a correr. Tenho pressa de viver que a vida é água a correr. Venho do fundo do tempo não tenho tempo a perder. Minha barca aparelhada solta o pano rumo ao norte, meu desejo é passaporte para a fronteira fechada. Não há ventos que não prestem, nem marés que não convenham, nem forças que me molestem correntes que me detenham. Quero eu e a natureza que a natureza sou eu e as forças da natureza nunca ninguém as venceu. Com licença com licença que a barca se fez ao mar, não há poder que me vença mesmo morto hei-de passar. Não há poder que me vença mesmo morto hei-de passar. com licença com licençaA com rumo à estrela polar. Letra de António Gedeão Este post é uma ideia de Maria Maia.

4 comentários:

  1. Penso que é o aniversário do blogue. Deixo-lhe os parabéns e um abraço

    ResponderEliminar
  2. Sobre a data do aniversário da morte de Adriano Correia de Oliveira, acho que todas as homenagens a este cantor, democrata e Homem, são poucas.
    Já fiz um post no meu blog sobre o assunto.
    Se acaso fôr mesmo a data do aniversário do teu blog, um abraço e parabéns pelo trabalho feito.

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado